Publicidade

Morre Nuga, ex-presidente da Igrejinha e fundador de bloco carnavalesco

Paciente, de 63 anos, estava internado há mais de um mês após sofrer um infarto

O ex-presidente da Escola de Samba Igrejinha e fundador do bloco carnavalesco campeão deste ano, Doralino Rosa de Carvalho, carinhosamente conhecido como Nuga, teve a morte cerebral confirmada na tarde desta segunda-feira (13), na Santa Casa de Campo Grande.

Em 11 de abril, Nuga sofreu um ataque cardíaco e foi encaminhado da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Coronel Antonino para Santa Casa. Ele ficou internado no Hospital até a última terça-feira (7) quando passou por uma cirurgia no coração de “revascularização miocárdica”.

A assessoria da Santa Casa informou que o paciente estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) desde a cirurgia. Apesar do procedimento ter ocorrido normalmente, Nuga tinha um histórico de saúde delicado, ele fazia hemodiálise e já tinha sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Conforme a filha Adriana Carvalho, Nuga começou a passar mal no dia do desfile da Igrejinha no Carnaval deste ano, mas acabou entrando na Avenida pela Vermelho e Branco. “A Igrejinha era a vida dele e o desfile foi muito emocionante”, ressalta.

No dia da apuração das Escolas de Samba, Nuga também sofreu alteração na pressão arterial e precisou ser socorrido pelo Samu. Ele ficou em observação na UPA, mas acabou sendo liberado.

Casado há 45 anos, pai de 5 filhos e avô de 9 netos, Nuga era apaixonado pelo Carnaval de Campo Grande. Após deixar a presidência da Escola de Samba Igrejinha, onde começou como passista, recebeu o convite do presidente da Ablac (Associação dos Blocos, Bandas, Cordões e Corso Carnavalesco Cultural de Campo Grande) para fundar seu próprio bloco carnavalesco. Foi assim que, em 2013, nasceu o bloco Nuga e Amigos – pentacampeão do Carnaval da Capital.

O presidente da Lienca (Liga das Entidades Carnavalescas de Campo Grande), Eduardo Souza Neto, lamentou a morte do amigo. “Ele é um dos percussores da Escola de Samba Igrejinha e como presidente foi campeão com o samba-enredo do Centenário da Imigração Japonesa. O Carnaval perde muito. Ele era bastante participativo, sempre dando apoio para a atual presidente. Nuga é também um dos percussores do próprio Carnaval da Capital junto com Picolé, Gilbertão, Zé Carlos e outros nomes dessa geração.”

 

 

Mais notícias