Publicidade

De lixo no chão a falta de seta no trânsito: Atitudes que mancham imagem de MS

Estado foi eleito, no final de Janeiro, como o mais hospitaleiro do Brasil

É a velha história: imprudência no trânsito e falta de respeito existem nos quatro cantos do país, mas em Mato Grosso do Sul alguns maus exemplos aparecem com mais frequência. Eleito por pesquisa popular do Ministério do Turismo como o mais hospitaleiro de todo o Brasil, o Estado ficou à frente de lugares como Rio de Janeiro e Bahia.

Quando a pesquisa foi divulgada, no final de Janeiro, centenas de sul-mato-grossenses usaram as redes sociais para contestar, e até tirar sarro, do resultado. Os próprios moradores do Estado não acreditaram que ele foi eleito como o mais hospitaleiro do Brasil.

“Eu moro aqui, mas já me peguei falando mal de Mato Grosso do Sul diversas vezes para os turistas. Isso é uma atitude que fazemos sem perceber e acaba denegrindo a imagem de nós mesmos”, comentou um internauta.

Quem precisa utilizar o transporte público e não está acostumado com a forma de embarcar utilizada, principalmente em Campo Grande, deve ficar atento para não sofrer acidentes. Sem fila única, o embarque é feito por “ordem de chegada” e, muitas vezes, o empurra-empurra pode causar quedas.

“Algumas pessoas não esperam nem os passageiros descerem e já vão empurrando. Outra cena é disfarçar que está dormindo ou mexendo no celular para não ceder lugar aos mais velhos”, compartilhou uma usuária.

O desabafo foi feito após uma página de usuários de ônibus da Capital divulgar um vídeo onde uma jovem aparece “dormindo” no assento preferencial do veículo. Mesmo com idosos em pé, a garota continua sentada no banco e não cede o lugar.

Comer fora de casa é um hábito comum em qualquer lugar. A falta de preocupação com o meio ambiente é outro ponto que incomoda, segundo moradores do Estado, que flagram pessoas jogando restos de comida e embalagens no chão.

Em 2015, o governador Reinaldo Azambuja sancionou a lei que prevê multa para quem jogar lixo nas vias públicas. Nem mesmo mexendo no bolso ou dano ambiental são capazes de conscientizar quem comete tal ato.

De acordo com relatos de campo-grandenses nas redes sociais, não é raro ver alguém comendo lanche e descartando a embalagem na rua. Motoristas também são vistos, ainda conforme os internautas, jogando papeis pela janela dos carros.

“Esses dias estava no ônibus e vi uma senhora, de idade já, jogando um copo plástico de café pela janela do meu lado. Fiquei brava, chamei a atenção em voz alta e ela ficou toda sem graça. Parece que já virou algo corriqueiro jogar tudo no chão”, explicou uma moradora do bairro São Conrado.

No trânsito a reclamação unânime dos motoristas é: a seta. A importância de sinalizar com a seta antes de ultrapassagens, troca de faixas, retornos e conversões parece óbvia até para os recém-habilitados. Entretanto, muita gente também reclama da ausência de sinal dos condutores sul-mato-grossenses.

“Aqui ninguém usa a seta e se você usar para indicar que quer trocar de faixa parece que aí mesmo que eles aceleram. É um absurdo. Diariamente vemos essa infração no trânsito.”

Mais notícias