Crise em companhia aérea acaba com sonho de professora que perdeu show do Luan Santana

Gabriella planejou a viagem com meses de antecedência e ainda espera reembolso de empresa

Fã que é fã não mede esforços para estar perto do ídolo nos momentos importantes da carreira. A professora universitária Gabriella Esteves planejou durante 2 anos e ajustou seus compromissos para viajar e ver de perto a gravação do último DVD do sul-mato-grossensse Luan Santana, em Salvador no domingo (19), mas o que era sonho se transformou em pesadelo. Meses após comprar as passagens pelo portal MaxMilhas, Gabriella ficou sabendo que a Avianca estava em crise e não conseguiu remarcar as passagens por outra companhia aérea. O resultado: A fã perdeu o bilhete aéreo, a reserva no hotel e o ingresso para o show.

O jogo de empurra-empurra entre a cliente e a MaxMilhas começou semanas antes do embarque. Assim que soube pelos noticiários locais que a Avianca havia deixado de operar em Florianópolis (SC), cidade escolhida para embarque, o marido da professora entrou em contato com a MaxMilhas informando que certamente daria problema no voo.

A empresa respondeu pedindo para que os clientes aguardassem, já que no sistema aéreo brasileiro o voo ainda estava ativo. Gabriella ficou apreensiva quando, duas semanas antes da viagem, as amigas que tinham comprado passagens por outros sites já estavam com bilhetes reservados em outras companhias e o problema resolvido.

“Os dias foram passando, todas as agências sabiam que Floripa não estava mais na rota da Avianca e a MaxMilhas só me dizendo para esperar, que o voo ainda estava ativo e nada podiam fazer. Nisso, eu já sabia que perderia meu show e tudo que tinha planejado.”

Nas vésperas da data, a empresa disse que não poderia remarcar o voo em outra companhia porque a decolagem continuava ativa e, caso ela quisesse cancelar, deveria ligar para o setor responsável.

“A resposta que me deram foi que ‘tinham uma mega estrutura montada para acompanhar cada caso individualmente’.”

Decepção

A novela entre empresa e cliente continuou com troca de mensagens pelas redes sociais e ligações telefônicas. Gabriella percebeu que todo o planejamento havia falhado quando o voo foi cancelado e a MaxMilhas sugeriu que ela comprasse outra passagem a “preço de custo”, que sairia quatro vezes mais caro que o valor pago anteriormente.

A professora ainda diz ter sido constrangida pela atendente que teria feito “pouco caso” da viagem quando descobriu que o motivo da “briga” era para ir ao show do cantor.

“A mulher disse que para resolver eu teria que chegar no aeroporto com 4 horas de antecedência e tratar direto com o gerente da Avianca, que a Max Milhas era apenas ‘um mediador’. E, para completar, foi irônica dizendo que a Max Milhas está dando importância dependendo da gravidade da situação e que no meu caso era só pra ver um show.”

A rotina da professora é dividida entre Universidade, colégios e casa. Os planos da fã era conciliar o horário do trabalho e chegar no aeroporto com uma hora de antecedência para fazer o check-in como aconselhado pelas companhias aéreas. Portanto, a opção de chegar 4 horas antes do embarque estava fora de cogitação.

“No dia eu trabalhava até às 12h e iria chegar às 13h com voo marcado para às 15h, eu expliquei isso, mas a MaxMilhas me disse que era uma norma da Avianca. Não é que eu não quero, é que eu não posso, por motivos de trabalho. A minha indignação é que eu paguei para o portal e eles simplesmente estavam esperando acontecer e pronto. Não trouxeram soluções. A solução era mais que o triplo da passagem.”

O pedido do reembolso do bilhete foi feito pela esposa e o marido um dia antes do embarque, na última sexta-feira (17), e estão esperando o prazo de 7 dias para solução. A sensação que fica, conforme o casal, é de impotência e descaso. O sonho de ir na gravação do DVD seria algo inédito na vida da professora e motivo de inúmeras conversas entre as amigas também fãs do cantor.

“Incapacidade… Não, isso seria quando foram informados e fizeram pouco caso de tudo isso. São incompetentes mesmo, destruindo o sonho de cliente apenas por sua conveniência e esperando receber algo forçando um cancelamento de passagem”, pontua o marido da professora.

Outro lado

Via assessoria de imprensa, a empresa informou que “a MaxMilhas tem orientado seus clientes, com ampla disponibilização de informação em seus canais de relacionamento, sobre como proceder em caso de cancelamento do voo por parte da Avianca.”

A nota ainda garante que “a maioria dos passageiros com bilhetes emitidos pela Avianca tem conseguido reacomodação em outras cias aéreas, e por isso orientamos aos clientes que se dirijam ao aeroporto com antecedência de pelo menos quatro horas antes do embarque.”

Diante da situação atual da companhia aérea, o informativo ainda explica que “caso o passageiro prefira receber o reembolso, a MaxMilhas procederá ao pedido de estorno junto à Avianca. Por outro lado, a decisão de remarcar ou de cancelar um voo ainda ativo gera custos adicionais com taxas de serviço, de acordo com a categoria tarifária do bilhete.”

Aeroporto de Salvador

A capital baiana foi uma das cidades que mais sentiu o fim das operações da Avianca. Os sete voos encerrados pela companhia em março eram responsáveis por 1,2 milhão de usuários do terminal. Se os voos se não forem absorvidos pelas operadoras concorrentes, o aeroporto vai voltar a operar com capacidade para 7 milhões de passageiros ao ano, um cenário que não era visto desde 2009.

De acordo com secretaria de turismo de Salvador, a cidade teve um aumento de fluxo turístico em 2017 e 2018. No fim do ano passado, a expectativa de um novo recorde no verão de 2019. Porém, com o fim dos voos para salvador, desde abril a cidade registra números menores do que no mesmo período de 2018.