Cosplayers de CG ensinam como mergulhar no mundo geek sem gastar muito

Às vésperas da Parada Nerd 2019, conversamos com cosplayers de Campo Grande sobre o processo de criação de um personagem

O fenômeno geek e suas diversas vertentes vem invadindo cada vez mais o mundo dos jovens e adultos passando por gerações. Uma das tradições mais antigas é o Cosplay, ato de se transformar em algum personagem de HQs ou animes, ou qualquer outro personagem. Algo que chama atenção de quem vê, o cosplay demanda muita dedicação e preparo prévio para chegar à beira da perfeição.

A Parada Nerd, evento geek que reúne mais fãs no Mato Grosso do Sul e um dos eventos com maior destaque no Brasil, acontece no próximo fim de semana (19 e 20 de outubro). Conversamos com alguns cosplayers que fazer isso por diversão ou profissionalmente para ser mais sobre esse mundo fantasioso.

O barbeiro Michael Claro Velasques já fazia teatro então não foi tão difícil em encarnar os personagens quando começou a praticar o cosplay. No seu currículo de 3 anos estão: Soldado Invernal, Deadpool e, neste ano, Capuz Vermelho.

“A preparação é que nem o Carnaval, já começa bem antes do evento. O cosplay tem que se tornar mais próximo e fiel ao personagem. Pra mim o retorno é a gratificação de ver as pessoas felizes”, conta o cosplayer.

O jovem também reitera que é importante saber a fundo sobre o personagem, não apenas as roupas mas também a personalidade para que a atuação seja fiel. Além de noção de costura e pepakura, um método de construção de objectos tridimensionais a partir de papel, semelhante ao origami.

Construção

”Para os que estão começando, indico que tenham bastante cola quente, cola de sapatos e fita silver tape, caso algo dê errado. Além de capricho e fazer isso com alegria. Sempre gostei de animes e HQs, mas quando conheci através de um amigo, Wagner de Novaes, o cosplay me apaixonei”, concluiu Michael Velasques.

Wagner de Novaes Borges mora em Sidrolândia, é cosmaker e produz cosplayers para diversos competidores e fãs da prática. Os materiais variam bastante de cosplay para cosplay, alguns são feitos majoritariamente a base de E.V.A. e outros até madeira.

“O Pepakura, técnica que se parece com o origami, geralmente usamos para o molde para usar a fibra de vidro ou a massa de poliéster, e até látex. Nem todo cosplayer faz os seus cosplays então a pessoa encomenda. As vezes só os acessórios ou só a roupa”, conta o cosmaker.

Experiência

Já a cosplayer Naomi Inagaki começou há mais ou menos 9 anos, na adolescência e continua até hoje. Neste ano, representou o Mato Grosso do Sul no World Cosplay Summit (WCS) com o cosplay de Alm e sua dupla (Marina Ametlla) de Celica de Fire Emblem Echoes: Shadows of Valentia.

A cosplayer Começou com cosplays mais simples e como não tinha uma renda, acabou usando o primeiro cosplay por anos até fazer outro novo. Naomi reitera que procurar tutoriais no youtube dará uma noção maior dos passos que tem que fazer para começar a sua peça.

“A maior dica que tenho para dar é estudar bem seu personagem, ver cada detalhe dele e e pensar nos elementos que você tem que reproduzir sempre tentando fazer o mais fiel possível. Cosplay é um hobbie um pouco caro, mas depende bastante, caso não tenha uma renda muito grande, você pode fazer personagens mais simples, que não tenha tantos elementos, e você mesmo confeccionar as peças vai te fazer economizar bastante. Por mais que no começo não fique bom, garanto que com pratica e tempo irá conseguir”, contou Naomi Inagaki.

Hobby

A secretaria executiva Bia Almada entro para o cosplay há pouco tempo. Tem apenas dois feitos e esse ano faz um terceiro.
O primeiro cosplay foi da personagem de Vocaloid Megurine Luka e a única coisa que encomendou foi a roupa, o resto foi com a ajuda da mãe na costura.

“O segundo cosplay que fiz foi da Kidagakash que é uma princesa de Atlantis o reino perdido. Nela tudo foi feito em casa com a ajuda de minha mãe pois a roupa da personagem é bem simples e não tive problemas.

Esse ano eu optei por um cosplay mais avançado em questão de detalhes comparado com os anteriores, estou sofrendo um pouco para concluir, mas está sendo uma experiência ótima. Eu tenho crises de ansiedade então o tempo que tenho para pintar e fazer os acessórios tem me ajudado a relaxar”.

Tudo é feito em casa, o vestido da personagem e a calça foi comprada e estilizada por Bia e o esposo, que também me auxilia muito. A arma (que é uma espécie de bambolê) foi feita pelo meu pai que é marceneiro. A estrutura toda de mdf 6mm que pode ser desmontável, apenas precisou do acabamento.

“Durante todo esses anos de pesquisa e aperfeiçoamento para fazer cosplay cada vez melhores, eu optava por personagem sem armaduras e sem muitos acessórios pois eu prefiro fazer sozinha pois assim eu vou aprendendo. Ainda falta muito para eu me considerar uma cosplayer profissional.. por hora faço apenas para me divertir”, finaliza.

Se animou? Confira 6 dicas básicas para começar seu cosplay:

1. Escolha um personagem que tenha a ver com você

Rafael Oliveira confeccionou seu cosplay de Acquamen especialmente para o Parada Nerd 2018. | Foto: Marcos Ermínio

A escolha do personagem é o primeiro passo, mas ela deve ser feita com cautela. Não vá escolher um personagem apenas porque ele está fazendo sucesso ou porque é mais fácil. Opte por um que você realmente goste e que tenha a ver com a sua personalidade.

O cosplay não é apenas colocar uma roupa, mas realmente entrar no personagem, sentir-se e comportar-se como ele. Você também pode usar a criatividade e fazer algumas mudanças, como uma versão feminina ou masculina do personagem.

2. Pesquise sobre o personagem

Geek e nerds - Cosplays são atrações de eventos de cultura pop.
(Arquivo, Midiamax)

Após escolher, pesquise um pouco sobre quem você vai personificar. Alguns deles sofrem mudanças não só na roupa como também no comportamento conforme o decorrer dos anos.

Portanto, se você vai interpretá-lo, preste atenção aos detalhes e analise a história. Quando necessário, escolha uma etapa da vida do personagem e foque nela.

3. Teste a maquiagem com antecedência

Atualmente, é possível encontrar maquiagens baratas e com boa qualidade, mas alguns personagens acabam demandando um pouco mais de trabalho nesse quesito, pois pode ser complicado encontrar as cores ou até materiais para a textura que você precisa. Alguns precisam até mesmo de outros materiais como tintas corporais especiais. Portanto, nada de deixar para última hora.

Utilize a internet para pesquisar marcas e sites para comprar o que precisa. Assim, você pode até economizar. Depois, basta testar a maquiagem em casa para ver quanto tempo ela dura até ser necessário retocá-la e também para verificar se o resultado final será como o esperado.

4. Avalie seus gastos

Parada Nerd terá seletiva para o maior campeonato de cosplay do mundo. | Foto: Divulgação
Parada Nerd terá seletiva para o maior campeonato de cosplay do mundo. | Foto: Divulgação

Tudo bem que algumas pessoas podem gastar uma quantia alta no cosplay, mas isso não é uma realidade para todos. Tenha um limite para os gastos, depois, basta montar seu personagem dentro deste limite para não ter surpresas depois.

Existem algumas roupas que podem ser compradas prontas, mas a dica para economizar é você mesmo comprar os tecidos e costurá-las. Caso não tenha habilidades desse tipo, procure alguém que faça esse tipo de trabalho, um cosmaker, neste caso, você também pode pedir indicação a alguém que já faça cosplay.

5. Conforto

Os cosplayers de personagens da Saga Star Wars foram um dos prediletos do público no Parada Nerd. Foto: Marcos Erminio
Os cosplayers de personagens da Saga Star Wars foram um dos prediletos do público no Parada Nerd 2018. Foto: Marcos Erminio

Eventos de cosplay, como o Parada Nerd, por exemplo, costumam durar algumas horas e você deve levar isso em consideração ao montar seu personagem. Roupas muito quentes ou apertadas podem se tornar bastante desconfortáveis, assim como acessórios pesados.

Sendo assim, por mais que a estética seja importante, para que você aproveite ao máximo é preciso que todo o seu cosplay seja confortável. Isso nem sempre é possível, pois alguns personagens exigem que você sacrifique o conforto para conseguir um resultado melhor. No entanto, faça de tudo para estar o menos desconfortável que puder.

6. Tenha cuidado com o transporte das roupas e dos acessórios

(Arquivo, Midiamax)

Você planejou todo o seu cosplay, fez ele ficar do jeito que você queria. Não é durante o caminho pro evento que você vai carregá-lo de qualquer jeito, não é? Verifique com antecedência como você fará para chegar ao local e como você poderá levar os acessórios em segurança.

Leve também um kit para imprevistos, com agulhas e linhas de costura, maquiagem, tinta corporal, fitas adesivas e o que mais precisar para consertar um possível dano no seu primeiro cosplay durante o evento.

Mais notícias