Conheça a história do escritor tetraplégico que quer inspirar pessoas

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência é comemorado hoje (21)

De acordo com o último censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mais de 45 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência física. Essas pessoas enfrentam lutas diárias que incluem desde a falta de acessibilidade até o preconceito. Sem dúvidas, o país tem muitos exemplos de pessoas que superaram alguma limitação, como é o caso do escritor Carlos Reis Agni, 52, que preferiu ultrapassar a dificuldade locomotiva ao invés de reclamar da vida.

Carlos sofreu um acidente aos 9 anos e, desde então, passou a conviver com uma doença degenerativa que, aos poucos, lhe roubou os movimentos, deixando-o tetraplégico. Ele chegou a ser desenganado pelos médicos que disseram à sua família que ele não passaria dos 16 anos.

Hoje, com cinco décadas bem vividas, ele utiliza a arte como instrumento de superação e vê a educação como um dos valores básicos da vida. Através da literatura Carlos viu um motivo para ir além das suas dificuldades, por isso escreveu cinco romances: Lágrimas de um Espermatozóide; O Prelúdio do Desejo; Fronteira do Emocional; O Oitavo Dia – Um atalho no Tempo e Diário do Conflito – sua mais recente publicação.

“Somos sobreviventes de uma sociedade hostil e predatória. Precisamos voltar para nosso centro para ter consciência de que tudo está em uma grande ordem. Nós é que estamos em desordem”, pontua Carlos Agni. Ele acredita que, em um grau maior ou menor, todo mundo tem uma deficiência, seja ela mental, intelectual, física ou neurológica.

O escritor defende, ainda, a educação como valor essencial para o respeito. O próximo passo do escritor é dedicar-se a palestras que possam inspirar outras pessoas a sair da inércia e se libertar das aflições cotidianas que, na visão dele, são capazes de nos paralisar. “O amanhã não é pintado como você quer, é como a vida desenha. Infelizmente, o preconceito ainda vai durar séculos. A educação é o valor básico para que a pessoa aprenda a respeitar e adquirir um conceito melhor do outro”, declara.

Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

No Brasil, no dia 21 de setembro celebra-se o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. A data foi aceita, oficialmente, a partir do decreto de lei nº 11.133, de 14 de julho de 2005, mas já era comemorada de forma extraoficial desde 1982. A criação da data comemorativa foi uma iniciativa do Movimento pelos Direitos das Pessoas Deficientes (MDPD), grupo que debate propostas de transformações sociais em prol das pessoas com deficiência.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Mais notícias