Brasil está entre os 10 países que mais enviam estudantes para intercâmbio

Cursos mais procurados são: ciências, tecnologia, engenharia e matemática

Mais de 16 mil brasileiros estavam matriculados em universidades dos Estados Unidos nos últimos dois anos. Considerando esses dados, o Brasil superou o México e subiu para a 9ª posição na lista de países que mais enviam estudantes para o país norte-americano, segundo dados do relatório Open Doors.

 

De acordo com a análise do documento, divulgado no final do mês de novembro, 1.095.299 estrangeiros estudavam nos Estados Unidos no ano letivo que terminou em meados de 2019. Trata-se de um recorde histórico. O número representa 5,5% do total de universitários no país.

 

Brasil no ranking 

Apesar dos números terem melhorado, o Brasil ainda não se recuperou do decréscimo entre o período de 2014 a 2016, quando o número de estudantes brasileiros matriculados no ensino superior americano recuou 44,7%, de 23.675 para 13.089.

De acordo com o Instituto de Educação Internacional, órgão também responsável pelo ranking, mais da metade dos estudantes estrangeiros interessados em universidades norte americanas se matriculam nas carreiras conhecidas com STEM, sigla que representa os cursos de ciências, tecnologia, engenharia e matemática.

Um dos motivos é o fato de o governo americano permitir que cidadão estrangeiros com diploma nesses cursos tenham um visto com duração maior para buscar emprego no país.

 

Critérios exigidos

O estudante que a vontade de embarcar em um intercâmbio precisar ter domínio, pelo menos, de um segundo idioma. O programa de inclusão educacional Educa Mais Brasil pode ajudar a encontrar um cursinho em uma instituição perto da sua casa. Acesse o site do programa e confira as oportunidades. É possível encontrar um curso com até 50% de desconto.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Brasil está entre os 10 países que mais enviam estudantes para intercâmbio
Mais notícias