Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Casamenteiro? Santo Antônio também tinha o dom da oratória

Conheça a história de um dos principais mártires da igreja católica

Você conhece a história de Santo Antônio? O padroeiro da Capital é um dos principais mártires da cidade e seu dia também dá nome a uma das ruas mais famosas do centro: a 13 de Junho. Mas nem todos que passam pela rua que cruza com a Afonso Pena sabem da história por trás do Santo e como uma das mais velhas igrejas da cidade leva o nome de Santo Antônio.

Protetor das coisas perdidas, protetor dos casamentos e protetor dos pobres, é também considerado o Santo dos milagres. Durante suas pregações nas praças e igrejas, muitos cegos, surdos, coxos e muitos doentes se diziam curados. Redigiu Sermões, tratados sobre a quaresma e os evangelhos, que estão impressos em dois grandes volumes de sua obra.

História

Santo Antônio ou Fernando Antônio de Bulhões, nasceu em Lisboa, Portugal, em 15 de agosto do ano de 1195. Aos 19 anos entrou para o Mosteiro de São Vicente dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, contra a vontade de seu pai. Morou lá por 2 anos. Com uma grande biblioteca em mãos, Antônio avança na sua história pelo estudo e pela oração.

Foi transferido para Coimbra, onde foi ordenado sacerdote. Logo se percebeu o dom da palavra do jovem padre agostiniano. Em Coimbra o Padre Antônio conheceu os freis franciscanos, entusiasmou-se pelo fervor com que estes viviam o Evangelho e, pouco depois, torna-se Frei Antônio, mudando-se para o mosteiro de São Francisco de Assis.

Fransicano

Santo Antônio faz o pedido de ir para o Marrocos pregar o evangelho e os Franciscanos permitem. No meio do caminho, porém, Frei Antônio fica muito doente e é forçado a voltar para Portugal.

Na viagem de volta, o barco é desviado e vai para Itália, terminando por parar na Sicília, em um grande encontro de mais de 5 mil frades franciscanos chamado Capítulo das Esteiras. Lá, Antônio conhece pessoalmente São Francisco de Assis.

Após conhecer São Francisco, passa 15 meses como um eremita no monte Paolo. No capítulo geral da ordem dos franciscanos ele é enviado a Roma para tratar de assuntos da ordem com o Papa Gregório IX, que fica impressionado com sua inteligência e eloquência e o chama de Arca do Testamento.

Morte

Juntavam-se às vezes mais de 30 mil pessoas para ouvi-lo pregar. Após a morte de São Francisco, Antônio foi enviado a Roma para apresentar ao Papa a Regra da Ordem de São Francisco.

Língua de Santo Antônio na Basílica de Santo Antônio na cidade de Pádua

Santo Antônio morreu em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231, com 36 anos, ficando conhecido também como Santo Antônio de Pádua. Antes de falecer nas portas de Pádua, Santo Antônio disse: “Ó Virgem gloriosa que estais acima das estrelas. Estou vendo o meu Senhor”. Em seguida, faleceu.

Em Lisboa, os sinos das igrejas começaram a repicar sozinhos e só depois o povo soube da morte do Santo. Ele também é chamado de Santo Antônio de Lisboa, por ser sua cidade de origem.

Milagres

Foram feitos tantos milagres após sua morte, que onze meses após o falecimento de Santo Antônio, ele foi beatificado e canonizado. Quando seu corpo foi exumado, sua língua estava intacta, esta está exposta até hoje na Basílica de Santo Antônio na cidade de Pádua. São Boaventura estava presente e disse que esse milagre era a prova de que sua pregação era inspirada por Deus.

Sua canonização foi realizada pelo Papa Gregório IX, na catedral de Espoleto, em 30 de maio de 1232, sendo o processo mais rápido da história da Igreja. Em 1934 foi declarado Padroeiro de Portugal e em 1946 foi proclamado Doutor da Igreja pelo Papa Pio XII

Casamenteiro

Uma das lendas conta que uma moça de uma família humilde de Nápoles não podia pagar o dote para seu casamento. Em desespero, rezou a Santo Antônio pedindo para que a ajudasse a encontrar uma solução.

Virar o Santo de ponta-cabeça é uma das simpatias para encontrar o amor

Milagrosamente, o santo lhe entregou um bilhete dizendo para ela procurar um comerciante que daria a moça as moedas de prata equivalentes ao peso do papel. Ao ler o bilhete o comerciante não se importou de cumprir o que estava escrito, já que o peso do papel era parecia muito leve.

Mas para sua surpresa, ao tentar equilibrar o seu peso com as moedas, foram necessários 400 escudos de prata. Com o dinheiro em mãos, a moça pôde enfim se casar de acordo com o costume da época.

A partir daí, Santo Antônio recebeu a fama de “O Santo Casamenteiro”. Entre várias simpatias realizadas para o santo ajudar as solteiras a desencalhar, estão a de virar sua imagem de cabeça para baixo e de tirar o Menino Jesus de seu colo, dizendo que só o devolverá quando conseguir encontrar o amor.

Você pode gostar também