Com entrada franca, 11ª Mostra de Direitos Humanos tem início nesta segunda

Exibições seguem até sábado-feira (13) no Sesc Horto

Estamos vivendo uma onda conservadora? Em tempos de ‘bandido bom é bandido morto’, de ‘com essa saia curta ela queria o que?’ ou até mesmo de ‘na minha época não tinha essa pouca vergonha’, não restam dúvidas de que, sim, estamos meio que presos a uma espécie de bolha moral que mais oprime que protege as pessoas. E sob uma régua que não é nossa, o reflexo mais comum desta realidade é, portanto, a violação diária de direitos fundamentais.

Como introduzir, então, a importância de se respeitar direitos humanos numa sociedade ainda tão engessada, excludente e opressora?

Este é um dos desafios da 11ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos, que chega nesta segunda-feira (8) a Campo Grande. Realizada desde 2006, a mostra cresceu ano após ano com a proposta de, por meio da linguagem cinematográfica, levar debate e reflexão acerca da violação dos direitos humanos. Realizada pela Secretaria Especial de Direitos Humanos, do governo federal, as exibições fazem parte do plano estratégico da pasta e atualmente ocorre em todos os estados brasileiros, além do Distrito Federal.

“Desde a criação, em 2006, a mostra foi crescendo, ano após ano. Inicialmente, ela aconteceu somente em quatro estados, mas hoje está no país inteiro, e a cada ano tem uma novidade”, explica Tatiana Maciel, curadora da mostra e diretora do Icem (Instituto Cinema em Movimento). “E a ideia é crescer sempre, cada vez mais. Quanto mais gente a mostra alcançar, mais vamos poder debater a necessidade de se defender os direitos humanos”, completa.

Em Campo Grande, a mostra caminha para a expansão. A realização contará com a exibição de 29 obras, separadas em temas e categorias especiais. “Há uma categoria mais geral, na qual vários aspectos dos direitos humanos são explorados. Entretanto, a temática de gênero contará com 7 obras especialmente selecionadas para essa discussão”, explica a curadora.

Cineasta Lais Bodanzky é homenageada da 11ª edição da mostra e terá obra exibida (Reprodução/Facebook)

.

É nesse contexto que a cineasta Lais Bodanzky, conhecida por obras como ‘Chega de Saudade’ e ‘Bicho de Sete Cabeças’, se destaca: ela é a homenageada da 11ª edição da mostra e terá sua obra contemplada na programação, como ‘Cartão Vermelho’, um curta dirigido por Bodanzky que explora o preconceito contra meninas que foge do estereótipo de gênero que lhes é atribuído. E ‘Mulheres olímpicas’, que também será apresentado na mostra.

Dos 29 filmes, 17 abordam direitos humanos em geral. Gênero é contemplado especificamente em 7 produções e outros 5 apresentam aos espectadores a obra da cineasta homenageada. Para fechar a conta, a novidade está na ‘mostrinha’, que traz mais 8 filmes que abordam direitos humanos especialmente direcionados para crianças. “Todo ano a gente aumenta o conteúdo e a mostrinha é a novidade desta edição, para que o evento seja, a partir de agora, acessível a todas as idades”, conclui Maciel.

Serviço – 11ª Mostra de Direitos Humanos – https://www.facebook.com/MostraCinemaDHCGMS/

Confira a programação principal da 11ª Mostra de Direitos Humanos, que tem início nesta segunda-feira (8), e segue até o dia 13 (sábado).

.

DIA 8/05 – 2ª FEIRA:

19h – Lançamento da 11ª MCDH/CG

Apresentação artística  – Balé Infantil do Projeto Social Tocando em Frente

Mostra Panorama

Depois Que Te Vi

Vinícius Saramago | Brasil | 2016 | 16 min | Ficção – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direito das pessoas com deficiência

Sinopse: Gustavo é um jovem autista que trabalha na farmácia do tio. Ele cumpre metodicamente sua rotina, mas isso muda quando ele sai para fazer uma entrega e vê uma menina passar de bicicleta. A partir daí seu foco passa a ser essa nova paixão. 

 

De Que Lado Me Olhas

Ana Carolina e Helena Sassi | Brasil | 2014 | 15 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Diversidade sexual / Cidadania LGBT

Sinopse: “O que é não pede para ser, simplesmente é.” Em Porto Alegre, sete pessoas oferecem suas perspectivas sobre uma importante realidade desconversada.

 

Coquetel de encerramento (Produzido pela Lanchonete da AACC)

 

DIA 09/05 –  3ª FEIRA: Sessão para Escola

13h30 – Mostrinha

Mônica Toy – Mônica Freestyle – Classificação indicativa: Livre

José Márcio Nicolosi  | Brasil | 2014 | 30 seg | Ficção

Temática: Direitos das mulheres

Sinopse: Dona da Rua e dona da bola!

 

Iemanjá Yemoja: A Criação das Ondasv – Classificação indicativa: Livre

Célia Harumi Seki | Brasil | 2016 | 10 min | Ficção

Temática: Direitos humanos / Diversidade religiosa

Sinopse: “A criação das ondas” conta sobre Iemanjá, a Rainha do Mar, que recebe de Olodumare o poder de devolver à terra as sujeiras jogadas pelos homens na água.
 Mônica Toy – Nana Nenê

José Márcio Nicolosi  | Brasil | 2016 | 30 seg | Ficção – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direitos das mulheres

Sinopse: Shhh! Se o bebê acorda, o coelho gira!

 

Imagine uma Menina com Cabelos de Brasil – Classificação indicativa: Livre

Alexandre Bersot | Brasil | 2010 | 10 min | Ficção

Temática: Direito da criança e adolescente

Sinopse: O cabelo, a fronteira final. Entre caretas e escovas, as viagens de uma menina em busca de aceitação.

 

Mônica Toy – Balanço das Meninas

José Márcio Nicolosi | Brasil | 2015 |30 seg | Ficção – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direitos das mulheres

Sinopse:  Meninas unidas jamais serão trolladas!

 

Hora do Lanchêêê

Claudia Mattos | Brasil | 2015 | 15 min | Ficção – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direito à alimentação adequada

Sinopse: Se não fosse pelo almoço gratuito na escola pública, os irmãos Joalisson, Joedson e Jowilson iriam ficar de barriga vazia o dia inteiro. A mãe dos meninos, que é solteira e está desempregada, tem dificuldade até mesmo para colocar comida em casa, mas não quer que os vizinhos saibam de seus problemas financeiros. Por isso, toda tarde, ela obriga as crianças a ir para a janela da frente e fingir que estão mastigando. A vizinhança toda acredita. Até quando essa farsa vai se sustentar?

 

Mônica Toy – Futebola, Paixão e Confusão – Classificação indicativa: Livre

José Márcio Nicolosi | Brasil | 2014 | 30 seg | Ficção

Temática: Direitos das mulheres

Sinopse: E Mauricio de Sousa apita o final do jogo no Limoeiro!

 

Meninos e Reis

Gabriela Romeu | país | ano | 16 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direito das populações tradicionais /  Direito à cultura

Sinopse: No reisado, um dos folguedos mais populares do Cariri cearense, crianças aprendem a jogar espada com destreza e meninas crescem como rainhas. Mas, Maria, a rainha de um dos reisados mais tradicionais da região, está no último ano de reinado e encara o drama de passar a coroa para a irmã mais nova, vivendo um verdadeiro rito de passagem.

 

16h – Mostra Panorama

Estrutural

Webson Dias | Brasil | 2016 | 89 min | Documentário – Classificação indicativa: 14 anos

Temática: Direito a moradia / Violência policial / Memória e verdade / Direito à terra

Sinopse: Fruto de uma pesquisa de mais de dez anos e utilizando material de arquivo, fotos e vídeos registrados pelos próprios moradores, durante conflitos ocorridos nos anos 90,  este documentário aborda fatos marcantes para a então invasão da Estrutural. Iniciada ainda na década de 1960, quase que simultânea à construção de Brasília, essa invasão surgiu nos arredores do que hoje é o maior lixão a céu aberto da América Latina. Moradores, políticos e militares apresentam seus pontos de vista sobre o passado e o presente da comunidade, numa síntese do processo de urbanização do Distrito Federal. 

 

19h – Mostra Panorama  – Sessão com debate

Tortura Tem Cor

Pedro Biava | Brasil | 2016 | 16 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Combate a tortura / Direito à memória e verdade

Sinopse: No período mais violento da ditadura no Brasil, a tortura foi amplamente utilizada como arma na guerra contra os grupos considerados subversivos. Entre os mais ativos torturadores estava o Major Carlos Alberto Brilhante Ustra, que comandou a repressão entre 1970 e 1974. Nesse documentário, as lembranças dolorosas dos interrogatórios foram transformadas em imagem. Um exercício poético para manter viva a memória esquecida pelo estado brasileiro.

 

Praça de Guerra

Edmilson Junior | Brasil | 2015 | 19 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direito à memória e verdade

Sinopse: Nos anos de 1960 surgiu em Catolé do Rocha um grupo de meninos que compuseram um genuíno ato de resistência. Tendo como palco uma pequena cidade do sertão paraibano, esses jovens começaram a praticar atividades consideradas “subversivas” pelo poder vigente da época, tendo como ápice a tentativa de organizar um foco de guerrilha armada na Serra do Capim-Açú, na zona rural da cidade. Ao serem descobertos, alguns desses jovens foram condenados e presos pelas forças de repressão.

 

Quem? Entre Muros e Pontes

Cacau Rhoden e Julio Matos | Brasil | 2015 | 19 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direito dos refugiados

Sinopse: Um retrato de um povo exilado, que sobrevive quase que exclusivamente do auxílio de ONGs que se fazem presentes na região do Saara Ocidental levando mantimentos, remédios e um pouco de esperança àqueles que há 40 anos vivem à margem da sociedade, esperando a pacificação do território sob intensa opressão e violência.

 

Índios no Poder

Rodrigo Arajeju | Brasil | 2015 | 21 min | Documentário – Classificação indicativa: 10 anos

Temática: Direito da população Indígena

Sinopse: Mario Juruna, único índio parlamentar na história do país, não consegue se reeleger para a Constituinte (1987/88). Sem representante no Congresso Nacional desde a redemocratização, as Nações Indígenas sofrem golpes da Bancada Ruralista aos seus direitos constitucionais. O cacique Ládio Veron, filho de liderança Kaiowa Guarani executada na luta pela terra, lança candidatura a deputado federal nas Eleições 2014, sob ameaças do Agronegócio no Mato Grosso do Sul. Contra a PEC 215, seu slogan de campanha é “terra, vida, justiça e demarcação”.

 

DEBATE  (CONVIDADOS)

 

Dia 10/05 – 4ª FEIRA: Sessão para Escola

13h30 – Mostra Panorama

Como Seria?

Daniel Gonçalves | Brasil |2014 | 4 min | Documentário – Classificação indicativa: 12 anos

Temática: Direito da pessoa com deficiência

Sinopse: Ao completar trinta anos, chegou a hora de mais pessoas saberem que sim, é possível levar uma vida normal com a paralisia cerebral que faz meus movimentos diferentes dos outros. Mas, por favor, não me venham com essa pieguice de superação, ok?!

 

Lápis Cor de Pele

Victória Roque | Brasil | 2015 |16 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direito da população afrodescendente / Igualdade racial / Infância

Sinopse: Através das falas de Joel Zito Araújo, Maria da Conceição Nascimento, Renata Morais, Yasmin Thayná e dos relatos das crianças, o filme se propõe a discutir os efeitos da ausência de representações de crianças negras nos meios de comunicação e o racismo presente na infância.

 

Pai aos 15

Danilo Custódio | Brasil | 2016 | 15 min | Ficção – Classificação indicativa: 10 anos

Temática: Direito da criança e adolescente

Sinopse: Gerson, um adolescente de 15 anos, vive a responsabilidade de cuidar de seu irmão mais novo.

 

O Chá do General

Bob Yang | Brasil | 2016 | 22 min | Ficção

Temática: Relações Intergeracionais

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: Um general aposentado chinês recebe a inesperada visita de seu neto.

 

Do Que Aprendi com Minhas Mais Velhas

Fernanda Julia e Susan Kalik | Brasil | 2016 | 26 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Diversidade religiosa / Cultura tradicional

Sinopse: Do que aprendi com minhas mais velhas é um documentário sobre a fé no Candomblé e como essa fé é transmitida de geração em geração. Um filme onde mulheres importantes no Candomblé da Bahia falam como aprenderam com seus mais velhos e como ensinam seus mais jovens. Um filme sobre tradição, amor e religiosidade.

 

16h – Mostra Panorama

Ilha

Ismael Moura | Brasil | 2014 | 15 min| Ficção – Classificação indicativa: 12 anos

Temática: Saúde mental / Dignidade da pessoa humana

Sinopse: Pai e filho isolados do mundo, os problemas mentais do filho e a incompreensão do pai os tornam presos em suas próprias ilhas interiores.

 

Epidemia de Cores

Mario Eugênio Saretta | Brasil | 2016 | 70 min | Documentário – Classificação indicativa: 8 anos

Temática: Direito a saúde mental

Sinopse: Epidemia de cores é um filme sobre arte, loucura e liberdade com a atenção voltada a acontecimentos insignificantes aos registros institucionais. Um documentário realizado na Oficina de Criatividade do Hospital Psiquiátrico São Pedro.

 

19h – Mostra Temática  –  Sessão com debate

Madrepérola

Deise Hauenstein | Brasil | 2015 | 15 min | Documentário – Classificação indicativa: 10 anos

Temática: Direitos das Mulheres

Sinopse: Em uma maré alheia à diversidade, vivem ostras que são afetadas por serem consideradas fora dos padrões e medidas. Essa é uma história sobre como as pérolas se formam.

 

Meu Nome é Jacque

Angela Zoé | Brasil | 2106 | 72 min| Documentário  – Classificação indicativa: 12 anos

Temática: Cidadania LGBT / Diversidade Sexual

Sinopse: O documentário aborda a diversidade através da história de vida de Jaqueline Côrtes, uma mulher transexual brasileira, que vive com Aids. Militante pela causa, Jacque tem a vida marcada por lutas e conquistas como representante do governo brasileiro na ONU. Hoje mora numa pequena cidade, levando uma vida voltada para a maternidade e a família. Ao acompanhar o cotidiano de Jacque, este documentário apresenta os inúmeros desafios que foram rompidos pela personagem.

 

DEBATE(CONVIDADOS)

 

Dia 11/05 – 5ª FEIRA:

13h30 – Mostra Panorama

Intolerância.doc

Susanna Lira | Brasil | 2016 | 85 min | Documentário – Classificação indicativa: 14 anos

Temática: Direitos humanos / Segurança pública

Sinopse: INTOLERÂNCIA.DOC mergulha no submundo dos chamados crimes de homofobia, torcidas organizadas e brigas de gangues na cidade de São Paulo.  O filme mostra a jornada da equipe da DECRADI, única delegacia especializada no assunto, em busca de pessoas que transformaram o discurso de ódio em assassinatos cruéis. Com a narrativa pontuada por revelações sobre as vítimas e uma imersão visual no underground de São Paulo, o filme revela a complexidade da natureza desses crimes que estão se tornando cada vez mais comuns no Brasil.

 

16h – Mostra Homenagem

Chega de Saudade

Laís Bodanzky | Brasil | 2008 | 95 min | Ficção  –   Classificação indicativa: 12 anos

Temática: Direitos da pessoa idosa

Sinopse: História ambientada durante uma noite de baile, num clube de dança em São Paulo. A trama começa ainda com a luz do sol, quando o salão abre suas portas, e termina ao final do baile, pouco antes da meia-noite, quando o último frequentador desce a escada.

O espectador acompanha, em uma única noite, os dramas e as alegrias de cinco núcleos de personagens frequentadores do baile. Mesclando comédia e drama, Chega de Saudade aborda o amor, a solidão, a traição e o desejo, num clima de muita música e dança.

 

19h – Mostra Temática – Sessão com debate – AUDIODESCRIÇÃO

A História da Menininha que Amava Borboletas

Paula Du Gelly | Estados Unidos da América | 2016 | 4 min | Ficção

Temática: Direitos das mulheres

Classificação indicativa: 14 anos

Sinopse: Para onde ela queria ir, ela não podia levar ninguém… especialmente seu passado.

 

Precisamos Falar do Assédio

Paula Sacchetta | Brasil | 2016 | 80 min | Documentário

Temática: Direitos das Mulheres

Classificação indicativa: 14 anos

Sinopse: Na semana da mulher, uma van-estúdio parou em nove locais em São Paulo e no Rio de Janeiro. O objetivo era coletar depoimentos de mulheres vítimas de qualquer tipo de assédio. Ao todo, 140 decidiram falar. São relatos de mulheres de 15 a 84 anos, de zonas nobres ou periferias das duas cidades, com diferenças e semelhanças na violência que acontece todos os dias e pode se dar dentro de casa, em um beco escuro ou no meio da rua, à luz do dia. O filme traz uma amostra significativa, 26 deles. Nos depoimentos puros, sem qualquer tipo de interlocução, acompanhamos um desabafo, um momento íntimo ou a oportunidade de falarem daquilo pela primeira vez.

 

 

Dia 12/05 – 6ª FEIRA:

13h30 – Mostra Panorama

Humano – Uma Viagem Pela Vida

Yann Arthus-Bertrand | França | 2015 | 143 min| Documentário – Classificação indicativa: 12 anos

Temática: Direitos humanos

Sinopse: Mais de 2 mil entrevistas em 60 países dão vida a este comovente documentário que reflete o que somos e o que queremos, não só como indivíduos, mas como sociedade.

Pessoas comuns falam espontaneamente o que pensam sobre amor, morte, ódio, discriminação, desigualdade, fome, esperança, sexo e muitos outros assuntos ligados à natureza humana. São camponeses, trabalhadores fabris, sentenciados à pena de morte, aborígenes, refugiados, soldados, rebeldes. Uma grande diversidade de temas e de pessoas que levam ao público as mais genuínas e emocionantes histórias de vida. Em meio aos relatos, o filme apresenta paisagens deslumbrantes dos mais remotos lugares do mundo, retratadas com extrema sensibilidade pelas lentes do fotógrafo Yann Arthus-Bertrand e acompanhadas da trilha sonora composta por Armand Amar, que traduz em sons todas as sensações que transbordam da tela.

 

16h30 – Mostra Homenagem

Cartão Vermelho

Laís Bodanzky | Brasil | 1994 | 14 min | Ficção – Classificação indicativa: 14 anos

Temática: Direitos das Mulheres

Sinopse: Esse premiado curta-metragem da diretora revela o mundo de Fernanda, uma adolescente que joga futebol com os meninos, no momento em que é surpreendida pelos desejos de mulher.

 

Bicho de Sete Cabeças

Laís Bodanzky | Brasil | 2001 | 84 min | Ficção – Classificação indicativa: 14 anos

Temática: Direitos Humanos e Saúde Mental

Sinopse: Como todo adolescente, Neto (Rodrigo Santoro) gosta de desafiar o perigo e comete pequenas rebeldias incompreendidas pelos pais, como pichar os muros da cidade com os amigos, usar brinco e fumar um baseado de vez em quando. Nada demais. Mas seus pais (Othon Bastos e Cássia Kiss) levam as experiências de Neto muito a sério e, sentindo que estão perdendo o controle, resolvem trancafiá-lo num hospital psiquiátrico. No manicômio, Neto conhece uma realidade desumana e vive emoções e horrores que ele nunca imaginou que pudessem existir.

 

19h – Mostra Panorama  – Sessão com debate 

Manancial

Bruno Soares | Brasil | 2016 | 8 min | Ficção – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direito ao meio ambiente sustentável

Sinopse: Um jovem sertanejo vive em busca de conciliar um vínculo perdido pela sua geração, dominada pela cultura massiva da futilidade e da ostentação. Um olhar poético sobre o descaso humano com meio-ambiente.

 

Menino 23 – Infâncias Perdida no Brasil

Belisario Franca | Brasil | 2016 | 80 min | Documentário

Temática: Direito da criança e do adolescente / Igualdade racial / Trabalho escravo

Classificação indicativa: 10 anos

Sinopse: A partir da descoberta de tijolos marcados com suásticas nazistas em uma fazenda no interior de São Paulo, o filme acompanha a investigação do historiador Sidney Aguilar e a descoberta de um fato assustador: durante os anos 1930, cinquenta meninos negros foram levados de um orfanato no Rio de Janeiro para a fazenda onde os tijolos foram encontrados. Lá, passaram a ser identificados por números e foram submetidos ao trabalho escravo por uma família que fazia parte da elite política e econômica do país, e que não escodia sua simpatia pelo ideário nazista. Dois sobreviventes dessa tragédia brasileira, Aloízio Silva (o “menino 23”) e Argemiro Santos, assim como a família de José Alves de Almeida (o “Dois”), revelam suas histórias pela primeira vez.

 

Dia 13/05 – SÁBADO:

14h – Mostra Homenagem

As Melhores Coisas do Mundo

Laís Bodanzky | Brasil | 2010 | 105 min | Ficção – Classificação indicativa: 14 anos

Temática: Direito da Criança e do Adolescente / Diversidade Sexual

Sinopse: Mano tem 15 anos, adora tocar guitarra, sair com os amigos e andar de bike. Um acontecimento na família faz com que ele perceba que virar adulto não é brincadeira. O bullying na escola, a primeira transa, o relacionamento em casa, as inseguranças, os preconceitos e a descoberta do amor transformam a adolescência numa travessia nada simples.

 

16h – Mostra Homenagem

Mulheres Olímpicas

Laís Bodanzky | Brasil |2013 | 52 min | Documentário – Classificação indicativa: Livre

Temática: Direitos das Mulheres

Sinopse: O documentário mostra que a história da mulher no esporte se confunde, muitas vezes, com a história da mulher como um todo. Enquanto tantas brasileiras lutavam pelo direito ao voto, ao divórcio e à livre expressão, algumas brasileiras lutavam pelo direito de marcar presença em um dos maiores eventos do planeta: as Olimpíadas. E o que poderia ser simples e natural: não foi. Algumas participações foram dramáticas. Outras, isoladas e solitárias. Assim como na sociedade, no esporte a mulher teve que conquistar na marra seus direitos.  De 1932, com a solitária participação de Maria Lenk, até os Jogos Olímpicos de 2012, quando o número de mulheres praticamente se igualou ao dos homens, muita coisa aconteceu. A participação das brasileiras nas Olimpíadas não foi uma dádiva. Foi uma conquista.

 

18h – NÃO ME LEMBRO   (FILME CONVIDADO/PRODUÇÃO LOCAL)

Fábio Flecha | Brasil |2015 | 25 min | Ficção – Classificação indicativa: 14 anos

Temática: Diversidade Sexual / Cidadania LGBT

Sinopse: Téo é um arquiteto gay, casado e bem sucedido, que sofre um acidente e perde parte da memória, não se lembrando que é gay.

 

Mostra Temática

Carol

Mirela Kruel | Brasil | 2016 | 20 min | Documentário

Temática: Diversidade sexual / Cidadania LGBT

Classificação indicativa: 14 anos

Sinopse: A história de uma mulher que se redescobriu depois de ter passado por uma situação de violência. Um registro do seu cotidiano, suas dificuldades e angústias, sonhos e alegrias. Através da proximidade com a vida de Carol vemos como é possível superar preconceitos, tristezas, e seguir em frente.

 

Pobre Preto Puto

Diego Tafarel | Brasil | 2016 | 15 min | Documentário

Temática: Cidadania LGBT

Classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Nei D’Ogum é batuque, é sexo e é negritude. É amor e contradição. Um guerreiro das causas negras, gays e transexuais. Ele é a própria causa. Autodefine-se: “pobre, preto, puto”.

Com entrada franca, 11ª Mostra de Direitos Humanos tem início nesta segunda
Mais notícias