MidiaMAIS

Tentar ingressar na escola Bolshoi pode ser uma chance de ouro para bailarinos do MS

Inscrições estão abertas

Daiane Libero Publicado em 19/09/2016, às 11h54

None
2002_-_1aespetaculo_da_escola_bolshoi_-_1a_mostra_didatica_de_danca_-_alceu_bett.jpg

Inscrições estão abertas

Quando o nome Bolshoi surge, a força da escola russa de balé, referência mundial na dança, sempre chama a atenção. O Brasil tem a única extensão do Teatro Bolshoi de Moscou, que há 16 anos em Joinville (SC), um polo brasileiro da dança clássica, trabalha para descobrir novos talentos no nosso país. Agora, nosso estado pode ter uma nova chance de ter uma bailarina ou um bailarino ingressando entre seu corpo de dança, direto para o balé profissional. 

Tentar ingressar na escola Bolshoi pode ser uma chance de ouro para bailarinos do MSEm 2013, Mato Grosso do Sul entrou na lista de bailarinos do Bolshoi com Cecília Bassetto Garcia de Freitas, na época com apenas 9 anos, que saiu da Escola de Balé Isadora Duncan na Capital, direto para a escola russa. Ela mudou-se para Santa Catarina para começar o curso que tem duração de oito anos de formação. 

Agora, o Teatro Bolshoi lança um edital extra para seleção de novos interessados em ingressar na escola. As inscrições vão até dia 22 de setembro, e os candidatos tem que ter nascido de 1998 a 2004, visando jovens dançarinos que querem ingressar no curso. Pode ser a chance dos sul-mato-grossenses. Para ler o edital completo acesse o link: http://escolabolshoi.com.br/selecao/.

Além de ensino gratuito, os alunos recebem benefícios como alimentação, transporte, uniformes, figurinos, assistência social, orientação pedagógica, assistência odontológica preventiva, atendimento fisioterápico, nutricional e assistência médica de emergência/urgência pré-hospitalar. Para isso devem apresentar bom rendimento na Escola Bolshoi e também no ensino médio e fundamental, pois a ausência de boas notas implica na perda da bolsa.

Jornal Midiamax