Castelinho histórico que abrigou exército pode virar museu após revitalização necessária

Destino do prédio histórico foi discutido em audiência na terça-feira (10)

Na tarde da última terça-feira (10), uma audiência pública no Plenário Isaac Borges Capilé, na Câmara de Vereadores de Ponta Porã, discutiu os possíveis destinos do prédio do Castelinho. Uma das sugestões mais aceitas entre os presentes foi de que o prédio histórico passasse a ser um museu interativo, contando a história do município e da fronteira.

O prédio já foi utilizado como base do Governo Federal na década de 40, e se encontrava abandonado. O secretário de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação de Mato Grosso do Sul, Athayde Nery presidiu a audiência, e disse estar satisfeito com o debate. “Ouvir a população é essencial, para que a etapa de restauro possa atender o desejo da comunidade local”, afirmou.

O prefeito de Ponta Porã, Ludimar Novais, se declarou favorável à ideia de instalação de um museu no prédio e afirmou que se trata de uma forma de preservar a memória cultural da fronteira. “O Castelinho faz parte da nossa história. Muitos fatos marcantes ocorreram nesse prédio”, disse. O vereador Marcelino Nunes afirmou que leis municipais que preservem o patrimônio histórico do município são uma luta de “toda a sociedade fronteiriça”.

A maioria dos presentes na audiência pública foram favoráveis que o Castelinho abrigue o Museu de Ponta Porã. Atualmente a cidade conta apenas com o Museu da Erva Mate, mantido pela empresa Erva Mate Santo Antônio.

(Com supervisão de Daiane Libero)

Mais notícias