Casa Branca forçou renúncia de autoridade da Geórgia por insatisfação com eleição

Então presidente, Donald Trump considerou que ele não estava fazendo o suficiente

Funcionários da Casa Branca pressionaram o principal promotor federal de Atlanta a renunciar antes do segundo turno do Senado da Geórgia porque o presidente dos , , considerou que ele não estava fazendo o suficiente para investigar as alegações de fraude eleitoral, disseram pessoas a par do assunto.

Uma autoridade sênior do Departamento de Justiça, a pedido da Casa Branca, ligou para o procurador-geral nomeado por Trump, Byung J. Pak, e disse que ele precisava renunciar porque não estava investigando alegações de fraude eleitoral para a satisfação de Trump.

Pak renunciou abruptamente na segunda-feira – um dia antes do segundo turno – dizendo em um e-mail matinal a colegas que sua saída foi devido a “circunstâncias imprevistas”.

A pressão sobre Pak foi parte da campanha de Trump para tentar alterar os resultados da eleição presidencial, vencida por em favor do presidente eleito . Trump disse esta semana, após o motim no Capitólio dos EUA, que deixaria o cargo em 20 de janeiro, quando Biden tomar posse. Falou, também, em transição pacífica – e que não participará da posse.

Busca por ‘fraude’

Enquanto as autoridades eleitorais na Geórgia verificavam assinaturas em envelopes de votos por correio em um condado da região metropolitana de Atlanta, , pressionou o investigador principal para “encontrar a fraude” e disse que isso faria do investigador um herói nacional.

A ligação de dezembro, descrita por uma pessoa familiarizada com o assunto que falou sob condição de anonimato para descrever a natureza delicada da discussão, precedeu a ligação de Trump em 2 de janeiro para o secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, na qual ele pediu aos funcionários eleitorais para “encontrar” Votos suficientes para anular a vitória de na eleição presidencial do Estado.

A ligação para o investigador ocorreu enquanto os funcionários eleitorais conduziam uma auditoria de assinaturas em envelopes de votos por correio no Condado de Cobb. A auditoria, que analisou mais de 15 mil assinaturas, não encontrou nenhum caso de fraude. O Georgia Bureau of Investigation ajudou a conduzir a auditoria de assinaturas. (Com agências internacionais)

Casa Branca forçou renúncia de autoridade da Geórgia por insatisfação com eleição
Mais notícias