Contagem inicial aponta que mais de 75% dos chilenos aprovam nova constituição

A constituição atual do Chile foi feita durante o governo ditatorial de Augusto Pinochet

A contagem inicial do plebiscito realizado no Chile, pelo qual se decidirá se o país fará a redação de uma nova constituição e como o texto será elaborado, indica que o voto pela nova constituição lidera. O serviço eleitoral afirmou neste domingo que, dos primeiros 4,4 milhões de votos contados, 78% favoreciam uma nova constituição e menos de 21% a opunham. Entre os 60.000 chilenos que vivem fora do país, o voto foi de 86% por uma nova constituição e 13% contra, afirmaram as autoridades. Cerca de 15 milhões de chilenos estavam aptos a votar.

A votação estava inicialmente marcada para abril, mas foi adiada em virtude da pandemia do novo coronavírus. O governo conservador do país concordou com a oposição de centro-esquerda em permitir o plebiscito após a eclosão de vastos protestos de rua realizados há um ano. Pesquisas recentes indicam forte apoio por uma nova constituição, apesar da oposição de grupos conservadores, e o presidente Sebastián Piñera afirmou após a votação que ele acredita que a medida será aprovada. “Eu acredito que a imensa maioria dos chilenos querem mudar, modificar nossa constituição”, disse.

Se a medida for aprovada, uma convenção especial começará a redigir uma nova constituição que será submetida ao voto em 2022. A constituição atual do Chile foi feita durante o governo ditatorial de Augusto Pinochet, e foi colocada em votação num período em que haviam sido banidos e o país estava sujeito a censura pesada.

A maneira de se fazer a nova constituição também está vem jogo. Eleitores escolherão entre um grupo de 155 cidadãos que serão eleitos apenas para esse propósito em abril, ou uma convenção maior, dividida igualmente entre delegados eleitos e parlamentares. Fonte: Associated Press.

Contagem inicial aponta que mais de 75% dos chilenos aprovam nova constituição
Mais notícias