Funcionários da Vyga fazem manifestação para reivindicar salário atrasado e benefícios

Os 1.100 funcionários disseram que passam por frequentes problemas para receber salários, mesmo a empresa tendo na carteira de clientes os principais órgãos do Governo.

Funcionários da Vyga, empresa prestadora de serviços de conservação e asseio, protestam nesta terça-feira (20), para reivindicar salário atrasado e outros benefícios, em frente à empresa, na rua Helio Castro Maia, em Campo Grande.

A Vyga responde por 1.100 funcionários em todo o Mato Grosso do Sul e, conforme a categoria, eles passam por frequentes problemas para receber o salário, e a empresa não está depositando FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

“Infelizmente o trabalho da Vyga é totalmente irregular. Eles não recolhem fundo de garantia e nem INSS. Faz 12 dias que os funcionários estão aguardando para receber o próprio salário. Cerca de 70% dos funcionários da nossa categoria são mulheres chefes de família, que dependem deste dinheiro para sobreviver”, destacou Wilson Gomes da Costa, presidente do STEAC/MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação de MS).

Muitos dos funcionários prestam serviço de 12h por 36h, e aproveitaram o dia de folga para reivindicar. “Estou reivindicando meu salário, que está atrasado. Tenho contas a pagar. Nem meu fundo de garantia eles recolheram”, contou uma das funcionárias da empresa há um ano. Ana Luiza de Souza, de 44 anos, trabalha no Hospital Regional, e após cumprir sua jornada foi protestar.

Por volta das 10h de hoje, todos os funcionários da empresa que trabalham no Hospital Regional, onde concentra 179 trabalhadores, aderiram ao movimento e resolveram paralisar suas atividades. O presidente do sindicato se deslocou para o local, a fim de solucionar a questão.

Wilson destacou que há dois meses vem negociando com a empresa, mas que eles estão adiando uma solução. A previsão é continuar o manifesto durante o dia, e se necessário, realizar uma greve geral. “Vamos definir ainda hoje, em assembleia o que será feito daqui em diante”, destacou Wilson Gomes.

A Vyga presta serviços terceirizados de limpeza para o Estado, como no Hospital Regional, delegacias e parques, na Capital e no interior. Conforme a diretora, Marcia Regina Pereira do Carmo, a diretoria não iria se pronunciar enquanto não resolvesse as questões burocráticas e o problema do atraso salarial.

De acordo com o Portal Transparência, a empresa já recebeu em outubro da Sejusp (Secretaria de Estado e Justiça e Segurança Pública) valores pagos de R$182.370, no mesmo mês receberam do Detran (Departamento Estadual de Tânsito) R$ 234.126, e da Secretaria de Fazenda R$ 198.160.


*Matéria editada 10h50 para acréscimo de informações.

Mais notícias