São Paulo tem gol não anulado, dá bobeira atrás e leva a virada do Lanús

O São Paulo merecia melhor sorte em sua visita ao Lanús, na estreia na Copa Sul-Americana. Teve gol mal anulado, acertou a trave duas vezes e acabou levando o gol da virada nos acréscimos Com falhas do sistema defensivo, acabou derrotado por 3 a 2 e terá de ganhar no Morumbi para seguir na competição internacional.

Foi um golpe duro para o São Paulo. O time saiu na frente do placar e foi bem no segundo tempo. Depois de acertar a trave duas vezes, o time sofreu com apagões defensivos e acabou levando dois gols nos minutos finais. Numa noite que podia ter comemorado um resultado positivo, falhas da arbitragem e dos defensores custaram caro. O atacante Brenner foi o principal nome são-paulino. Anotou três gols na noite, um deles mal anulado por impedimento.

Disposto a acabar com o jejum de oito anos sem títulos, o São Paulo está tratando a Copa Sul-Americana com seriedade. Depois do vexame de cair na fase de grupos da Copa com uma rodada de antecedência, a ordem é não decepcionar na competição. Espantar o fantasma argentino, contudo, será a primeira grande missão. Terá de ganhar no Morumbi daqui uma semana.

O treinador são-paulino escalou o que tinha de melhor na . Queria voltar com a vaga encaminhada na mala. Ainda mais diante de um rival sem disputar um jogo oficial desde março Mas nada deu certo.

Apesar de não vir jogando, o Lanús foi muito superior na primeira etapa. Vera assustou num chutaço de fora da área logo com seis minutos. A bola passou raspando.

Sufocado, o São Paulo abriu o marcador em sua primeira escapada. Luciano recebeu belo passe de Tchê Tchê pela direita e rolou para Brenner. O zagueiro parecia que correria o lance. Mas o atacante chegou primeiro e fez o gol.

O Lanús, necessitando da igualdade, criou muitas chances. A bola teimou em rondar a área são-paulina bem acima do habitual ultimamente. De La Vega, duas vezes, Vera e Sand por pouco não igualaram o placar. Tiago Volpi ainda defendeu uma bola no susto após ela bater na trave.

Além do gol, o São Paulo chegou uma única vez ao ataque. Luciano apareceu livre e perdeu a chance de ampliar. Estava livre.

O segundo tempo começou invertido. Em três minutos o São Paulo chegou bem duas vezes. Igor Gomes demorou a finalizar e bateu na marcação. Já Brenner lamentou seu chute colocado ter parado no pé da trave. Bateu bonito e merecia o gol.

O São Paulo não fez e acabou castigado. Cruzamento da direita de Di Placido, a bola bateu em Daniel Alves e sobrou livre para o veterano Sand empatar. Aos 40 anos, o artilheiro marcou seu 128º gol pelo Lanús.

Daniel Alves quase se reabilitou na sequência. Bateu a falta na entrada da área na barreira e, no rebote, carimbou o travessão pegando de primeira. “Vamos São Paulo, atenção”, eram os gritos a cada ataque argentino. Num deles, após escanteio, o ligado Luciano tirou o gol da cabeça de Orozco. Levantou o pé perigosamente, mas salvou o time.

Melhor fisicamente na reta final do jogo, o São Paulo cresceu. E, não fosse um erro da arbitragem, teria aberto vantagem. Aos 34 minutos, Reinaldo deu uma “caneta” no marcador e cruzou para Brenner fazer seu segundo no jogo. Impedimento mal marcado. O VAR não está sendo usado nesta fase da competição.

Fernando Diniz reclamou bastante. E ficou ainda mais irritado com nova bobeira do setor defensivo. Orsini recebeu livre na área e tocou para Sand. O centroavante dominou, girou sobre a defesa e virou o placar.

O São Paulo buscou nova igualdade em bela jogada. Daniel Alves lançou para Vitor Bueno. O meia tocou para Luciano dar de calcanhar e Brenner mandou de primeira, no ângulo.

 

Mas não era noite são-paulina. Cruzamento da esquerda, Quignón subiu livre e definiu a vitória dos argentinos.

 

FICHA TÉCNICA:

 

LANÚS 3 x 2 SÃO PAULO

 

LANÚS – Morales; Di Placido, Thaller, Burdisso e Bernabei; Belmonte, Pérez (Bellushi), Vera (Quignón) e Aguirre (Orozco); De la Vega (Orsini) e Sand. Técnico: Luis Zubeldía.

 

SÃO PAULO – Tiago Volpi; Tchê Tchê, Diego Costa, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Igor Gomes (Pablo), Daniel Alves e Gabriel Sara (Vitor Bueno); Brenner e Luciano. Técnico: Fernando Diniz.

 

GOLS – Brenner, aos 12 minutos do primeiro tempo. Sand, aos 8 e aos 38, Brenner, aos 41, e Quignón, aos 46 minutos do segundo tempo.

 

CARTÕES AMARELOS – Quignón, De la Vega, Aguirre, Pérez (Lanús); Igor Gomes (São Paulo).

 

ÁRBITRO – Crystian Ferreyra (URU).

 

RENDA E PÚBLICO – Jogo disputado com portões fechados.

 

LOCAL – Estádio La , em Lanús ().

São Paulo tem gol não anulado, dá bobeira atrás e leva a virada do Lanús
Mais notícias