Revisão libera capital, grande SP e Baixada Santista para Paulistão

Governo autoriza partidas somente na fase amarela do Plano São Paulo

Os jogos que marcam o retorno da primeira divisão (Série A1) do Campeonato Paulista a partir de 22 de julho poderão ser disputados na cidade de , na maior parte da região metropolitana da capital e na Baixada Santista. São as áreas, com equipes envolvidas na competição, que constam na fase amarela (a terceira, de cinco) do Plano , que flexibiliza as medidas de isolamento social adotadas no estado para combater a pandemia do novo coronavírus (covid-19). A revisão das etapas, realizada a cada duas semanas, foi feita nesta sexta (10).Revisão libera capital, grande SP e Baixada Santista para Paulistão

Conforme o anúncio do governo paulista, as regiões de Osasco, Barueri, Mogi das Cruzes, Suzano (todas da grande ), Santos (Baixada) e Registro (Vale do Ribeira) passaram a constar na etapa amarela, que indica um melhor controle no combate ao coronavírus. A próxima atualização será em 24 de julho, com validade a partir do dia 27.

A Federação Paulista de Futebol (FPF) ainda não divulgou as datas e horários das duas próximas rodadas, que encerram a primeira fase da competição, mas, com a previsão de que o torneio acabe em 8 de agosto, elas devem ser concluídas até dia 26, um domingo. Os jogos, até o fim do Estadual, serão disputados sem público.

Na última quarta (8), quando anunciou a liberação para volta do campeonato, o governador João Doria disse que a condição para a realização dos jogos era que os municípios estivessem ao menos na fase amarela do plano. Na última quinta (9), a FPF confirmou que adotaria a determinação e que as equipes de cidades nas etapas vermelha (primeira, com maior número de restrições) e laranja (segunda com mais restrições) teriam que mandar as partidas em outro local. A entidade informou que iria “custear o transporte e hospedagem dos clubes que não puderem atuar em suas sedes, se assim for solicitado”.

Corinthians, , , Santos, Oeste (Barueri) e Água Santa (Diadema) são os times que, na atual configuração, podem realizar os jogos em casa. A cidade de Santo André também está na fase amarela, mas o estádio Bruno José , no qual o Santo André treina e manda as partidas, está sendo usado como hospital de campanha. O Ramalhão, que tem a melhor campanha do Paulista até o momento. está se preparando em Vargem, município da grande .

Se não houver nenhuma atualização extraordinária do Plano, Bragantino, Ferroviária, Mirassol, Inter de Limeira, Ituano, Novorizontino, Guarani, Ponte Preta e de Ribeirão Preto terão que jogar fora de suas cidades. A situação dos três últimos é mais delicada, já que os municípios de Campinas e Ribeirão Preto estão na fase vermelha. O , inclusive, sequer conseguiu iniciar os treinamentos em grupo. O clube contestou a intenção da FPF de reiniciar o Estadual no dia 22 e as adequações de datas para registro e inscrição de atletas.

“A situação de cada cidade e região é mutante. Pode piorar, mas também pode melhorar. Mais próximo das datas dos jogos, vamos mapear os locais possíveis e aí vamos organizar seguindo o que foi acordado. Aqui em tem o Canindé. Temos uma parceria com a Portuguesa e o estádio foi amplamente reformado e pintado. Temos a [Rua] Javari [estádio do Juventus], onde o Mauro Silva [vice-presidente da Federação] determinou uma vistoria. E temos locais possíveis na grande ”, disse, na última quarta, o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos.

Revisão libera capital, grande SP e Baixada Santista para Paulistão
Mais notícias