Mesmo com situação indefinida, clubes garantem presença na Série D do Brasileiro

Falta de datas para início e término da competição é apontada, no entanto, como um dos fatores que prejudicam o planejamento

A pandemia do novo coronavírus, que vem afetando o esporte de maneira avassaladora, fez, por enquanto, duas vítimas entre os times de futebol. Patrocinense-MG e São Caetano anunciaram que não vão participar da Série D do Campeonato Brasileiro, a quarta divisão nacional. Apesar do momento difícil, a maioria das equipes são a favor da disputa, mas exigem uma definição rápida por parte da CBF para saberem o que vão precisar para armar um time em condições diante da atual situação financeira causada pela covid-19.

No meio de tantas incertezas, a semana ficou agitada por conta da desistência do São Caetano, ocorrida na quarta-feira. No dia seguinte, a CBF não aceitou que o EC São Bernardo ocupasse a vaga deixada pelo rival. A alegação é de que o clube do ABC paulista infringiu o regulamento em seu artigo 34, que exige que a desistência seja oficializada até 50 dias antes do início da competição. A data inicial seria 13 de março, o que, em tese, mudou com a pandemia.

Anteriormente, o Patrocinense manifestou estar com a saúde financeira debilitada e também ficará de fora da Série D. Como a desistência foi oficializada dentro do prazo previsto pelo regulamento, a Federação Mineira de Futebol (FMF) pode indicar o Villa Nova, de Nova Lima (MG), como substituto.

A CBF, responsável por organizar todos as divisões do Campeonato Brasileiro, em 6 de abril prometeu uma ajuda de R$ 120 mil a todos os participantes da Série D para cobrir prejuízos em seus Estaduais, além de bancar outras despesas de logística – transporte, hospedagem, alimentação e arbitragem. Mas, em contato com a reportagem, não quis confirmar se esse dinheiro já foi repassado aos clubes.

Mas parece que nem estes benefícios parecem satisfazer boa parte dos participantes. Sem dinheiro, diversas equipes – de Norte a Sul – não conseguem bater o martelo e cravar que irão participar da Série D em um ano de crise, no qual nem os Estaduais chegaram ao final.

“Estamos esperando uma posição da CBF. Se definir, com o Ministério da Saúde, que vai ter Série D e a CBF ajudar com questões como exames, que talvez precisem ser feitos para os jogos por conta deste cenário, a gente vai, sim, participar da Série D. Estamos nos organizando, é claro e evidente, ainda de longe”, afirmou o presidente do São Raimundo-RR, Sérgio Carvalho

O presidente do Goianésia-GO, Marco Antonio Mais, é outro que espera uma definição da CBF. “É certo que o Goianésia vai disputar a Série D, mas não sabemos com qual estrutura vamos conseguir formar a equipe, depois que tudo mudou. Precisamos nos reunir com os nossos patrocinadores, buscar novos, para saber com qual time poderemos contar”, disse.

Também de Goiás, o Crac, da cidade de Catalão, vai jogar segundo seu mandatário Roberto Silva. Mas acredita ser complicado para os clubes se os jogos forem sem a presença de torcedores. “Vamos sim. Agora fica pergunta quando começará e será que vai ter? De portão fechado será inviável a disputa”, comentou.

No Paraná, o Toledo confirmou que já recebeu o dinheiro da CBF. “Devido ao momento que estamos passando, estão havendo perguntas sobre a participação do TEC na Série D. Primeiro precisamos aguardar a definição da CBF: quanto ao calendário, se vai manter a fórmula, se vai ser de portão fechado ou não… São definições que vão impactar diretamente na decisão. Hoje o Toledo disputa a Série D, no mínimo com sua base. Vamos aguardar as definições”, revelou o presidente Carlos Dulaba.

FALTA DE DATAS – A falta de datas para início e término da competição, aliás, é apontada como um dos fatores que prejudicam o planejamento. Em princípio, a Série D começaria em 2 ou 3 de maio, com a fase preliminar, e conheceria o seu campeão em 22 de novembro. “Estamos aguardando um posicionamento da CBF quanto às datas e para ver se o regulamento continua o mesmo. Se haverá a fase preliminar ou se os clubes já vão entrar direto nos grupos ou se voltará o formato do ano anterior”, contou o presidente do Baré-RR, Oziel Neto.

Os clubes que se posicionam favoráveis à disputa, em geral, se apegam ao sonho de conquistar o acesso à Série C, feito que garantiria um calendário mais cheio na próxima temporada. “O Brasiliense Futebol Clube entende que, em seu calendário, a competição nacional tem grande importância. Por esse motivo, o clube não pretende desistir de disputar a Série D”, destacou o clube candango em uma nota oficial.

O ex-senador Luis Estevão, dono do clube candango, o mantém em ação. No momento ele cumpre em prisão domiciliar, também beneficiado pelo coronavírus. “Lutamos muito para conquistar esta vaga. Apesar das dificuldades que estamos enfrentando, vamos disputar, sim, a Série D. O Gama vai em busca de uma grande campanha nessa competição nacional”, opinou o presidente do time brasiliense, Weber Magalhães, ex-presidente da Federação de Futebol do Distrito Federal.

PAULISTAS – Além do São Caetano, o Estado de São Paulo tem direito a mais três vagas. Elas serão ocupadas por Novorizontino, Mirassol e Ferroviária. Sobre a atual situação, o clube de Novo Horizonte apenas disse, por assessoria de imprensa, que vai disputar a Série D e espera o dinheiro da doação.

No time de Mirassol, o presidente Edson Antônio Ermenegildo está ciente das dificuldades que terá pela frente e por enquanto garantiu a presença do clube. “O Mirassol tem planejamento para integrar os campeonatos da CBF, com o que, conforme nosso entendimento, deve ser o ideal para todas as agremiações de futebol. O caminho é espinhoso, mas é único. Vamos que vamos, por ora. Aguardando posicionamento da CBF”, disse, sem revelar se já recebeu a ajuda da CBF. “(A ajuda) Significa que o campeonato será realizado. A saúde pública é primordial, mas o futebol ainda é a alegria do povão”.

Confira a situação de cada clube por região e Estado:

CENTRO-OESTE

Distrito Federal

Brasiliense – Sinaliza que irá disputar;

Gama – Sinaliza que irá disputar.

Goiás

Crac – Sinaliza que irá disputar;

Goianésia – Sinaliza que irá disputar;

Goiânia – Sinaliza que irá disputar.

Mato Grosso

Luverdense – Sinaliza que irá disputar;

Operário-VG – Sinaliza que irá disputar;

União Rondonópolis – Sinaliza que irá disputar.

Mato Grosso do Sul

Águia Negra – Sinaliza que irá disputar;

Aquidauanense – Sinaliza que irá disputar.

NORDESTE

Alagoas

Coruripe – Sinaliza que irá disputar;

Jaciobá – Sinaliza que irá disputar.

Bahia

Atlético Alagoinhas – Sinaliza que irá disputar;

Bahia de Feira – Sinaliza que irá disputar;

Vitória da Conquista – A diretoria ainda não se posicionou sobre o tema, o que deve acontecer após a pandemia da covid-19; elenco, porém, foi dispensado após paralisação do Campeonato Baiano.

Ceará

Floresta – Sinaliza que irá disputar;

Guarany de Sobral – Sem datas confirmadas para a competição, a diretoria ainda não se posicionou e só tomará uma decisão após o término da pandemia.

Maranhão

Juventude – Sinaliza que irá disputar;

Moto Club – Sinaliza que irá disputar.

Paraíba

Atlético Cajazeiras – Sinaliza que irá disputar;

Campinense – Sinaliza que irá disputar.

Pernambuco

Afogados – Sinaliza que irá disputar;

Central – Sinaliza que irá disputar;

Salgueiro – Sinaliza que irá disputar.

Piauí

Altos – Sinaliza que irá disputar;

River – Sinaliza que irá disputar.

Rio Grande do Norte

ABC – Sinaliza que irá disputar;

América – Sinaliza que irá disputar;

Globo – Ainda não crava participação, mas indica que irá disputar;

Potiguar – Ainda não crava participação, mas indica que irá disputar.

Sergipe

Freipaulistano – Ainda não crava participação, mas indica que irá disputar;

Itabaiana – Sinaliza que irá disputar.

NORTE

Acre

Atlético Acreano – Sinaliza que irá disputar;

Galvez – Sinaliza que irá disputar;

Rio Branco – Desistiu; Plácido de Castro deve entrar na vaga.

Amapá

Santos – Sinaliza que irá participar;

Ypiranga – Sinaliza que irá participar.

Amazonas

Fast Clube – Sinaliza que irá disputar;

Nacional – Sinaliza que irá disputar.

Pará

Bragantino – Sinaliza que irá disputar;

Independente – Ainda não crava participação.

Rondônia

Ji-Paraná – Sinaliza que irá disputar;

Vilhenense – Chegou a sinalizar desistência, mas voltou atrás; tenta uma parceria com empresários do Rio Grande do Sul para poder confirmar participação.

Roraima

Baré – Sinaliza que irá disputar;

São Raimundo – Ainda não crava participação, mas indica que irá disputar.

Tocantins

Palmas – Sinaliza que irá disputar;

Tocantinópolis – Sinaliza que irá disputar.

SUDESTE

Espírito Santo

Real Noroeste – Sinaliza que irá disputar;

Vitória – Sinaliza que irá disputar.

Minas Gerais

Caldense – Sinaliza que irá disputar;

Patrocinense – Desistiu; Villa Nova confirmou participação no lugar;

Tupynambás – Sinaliza que irá disputar.

Rio de Janeiro

Bangu – Sinaliza que irá disputar;

Cabofriense – Chegou a manifestar desistência, mas logo voltou atrás; agora sinaliza que irá disputar;

Portuguesa – Sinaliza que irá disputar.

São Paulo

Ferroviária – Sinaliza que irá disputar;

Novorizontino – Sinaliza que irá disputar;

Red Bull Brasil – Como a Red Bull comprou o Bragantino, a empresa viu o time ir para a Série A2 do Paulista e a vaga na Série D passar para o Mirassol, que irá participar da competição nacional;

São Caetano – Abriu mão da disputa; EC São Bernardo pleiteou a vaga, mas CBF não aceitou e competição deve ficar com um time a menos.

SUL

Paraná

FC Cascavel – Sinaliza que irá disputar;

Nacional – Sinaliza que irá disputar;

Toledo – Ainda aguarda algumas definições e não crava participação, mas indica que irá disputar.

Rio Grande do Sul

Caxias – Sinaliza que irá disputar;

Pelotas – Sinaliza que irá disputar;

São Luiz – Sinaliza que irá disputar.

Santa Catarina

Joinville – Sinaliza que irá disputar;

Marcílio Dias – Sinaliza que irá disputar;

Tubarão – Sinaliza que irá disputar.

Mesmo com situação indefinida, clubes garantem presença na Série D do Brasileiro
Mais notícias