ESPN é condenada a pagar R$ 100 mil a ex-apresentadora por vínculo empregatício

A decisão ainda cabe recurso no TST

A emissora ESPN Brasil foi condenada pela 74° Vara do Trabalho de São Paulo a pagar cerca de R$ 100 mil a ex-apresentadora Juliana Veiga, no qual teve vínculo empregatício entre 2012 e 2019. Segundo o portal UOL, houve um recurso ordinário da emissora esportiva, que agora é assumida pela Disney, mas foi rejeitado pela Justiça.

A jornalista entrou com um processo contra a ESPN Brasil pedindo um valor compensatório de R$ 1 milhão referente as perdas de direitos trabalhistas quando estava contratada, como férias, 13° salário, horas extras e adicional noturno.

A Justiça manifestou que a ESPN não questionou a decisão do juiz e não apontou erro no processo, aceitando em partes, o argumento apresentado por Juliana. A jornalista explicou que o contrato foi rescindido de forma unilateral por opção da Disney e que não recebeu nenhum valor após a rescisão.

A Disney agora é dona dos canais ESPN, após fusão com a Fox. A decisão ainda cabe recurso no TST (Tribunal Superior do Trabalho).

ESPN é condenada a pagar R$ 100 mil a ex-apresentadora por vínculo empregatício