Com a cabeça no Gre-Nal, Internacional perde segunda seguida, agora do Fortaleza

O Internacional não é o mesmo sem seu goleador Thiago Galhardo. Dois jogos poupando o artilheiro, duas derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro. Com a cabeça no clássico diante do Grêmio, nesta quarta-feira, pela Copa Libertadores, desta vez foi superado pelo Fortaleza por 1 a 0, mesmo placar sofrido diante do Goiás há uma semana, na Arena Castelão, em Fortaleza, pela 11.ª rodada.

Os gaúchos, após início arrasador, mostram que o desgaste atrapalha. E que faltam peças de reposição à altura dos titulares também. Vale frisar que o centroavante peruano Guerrero, machucado, só volta daqui seis meses. E Thiago Galhardo vem quebrando o galho na frente.

O uruguaio Abel Hernández e o argentino Leandro Fernández ainda se adaptam ao futebol brasileiro. E o time comandado pelo técnico Eduardo Coudet carece de mais um armador, sobretudo após a lesão de Patrick. O Internacional estaciona nos 20 pontos e dá esperança para quem vem atrás.

O regular Fortaleza de Rogério Ceni sobe para 15 pontos, sonhando com o G4 e bem distante da zona de perigo. O técnico não esconde que a primeira missão ainda é a permanência na elite nacional.

Ciente que o Gre-Nal pela Libertadores pode definir não apenas a classificação antecipada às oitavas de final, como a eliminação do rival, Eduardo Coudet poupou algumas peças importantes na Arena Castelão: o artilheiro Thiago Galhardo e os meias Boschilia e D’Alessandro, que entraram só no segundo tempo. O zagueiro Victor Cuesta cumpriu suspensão.

Peça vital no meio de campo gaúcho, Patrick tinha a missão de servir o reformulado ataque com o jovem Léo Ferreira e Leandro Fernández. Mas a sorte não estava a seu lado. Com somente 29 minutos, o jogador acabou substituído com dores musculares na coxa direita. Preocupação enorme para o clássico do meio de semana. Até ali, o Internacional já havia assustado com chute rasteiro de Fernández para fora.

Do lado cearense, a melhor chance da fraca primeira etapa surgiu em cabeçada de Marlon, livre, longe do alvo. As estratégias dos técnicos pareciam mais preocupadas em não perder do que em buscar o triunfo.

D’Alessandro, que só seria usado em caso de necessidade, acabou entrando no intervalo por mais um problema físico. Johnny saiu com lesão muscular na coxa esquerda. O Internacional voltava a ter um armador.

O segundo tempo começou com polêmica. Após um cruzamento, Musto cai após toque sem querer de Paulão na área. Pênalti? Após reclamação de ambos os lados e muita demora com o VAR, o árbitro optou em não marcar nada após quatro minutos de checagem.

O Internacional teve a chance de abrir o placar com forte chute de Fernández. A bola passou raspando. Não fez o gol e viu uma infelicidade de Nonato custar caro. O volante tentou afastar um cruzamento na área e serviu Felipe. O jogador do Fortaleza acertou um belo chute e fez o gol que seria decisivo. Os cearenses souberam segurar os gaúchos e festejaram muito a importante vitória.

Festa de um lado, irritação do outro. Os jogadores do Internacional reclamaram muito da arbitragem após o apito final, cobrando a marcação de dois pênaltis não marcados.

 

FICHA TÉCNICA

 

FORTALEZA 1 x 0 INTERNACIONAL

 

FORTALEZA – Felipe Alves; Marlon, Quintero (Jackson), Paulão e Carlinhos; Juninho, Felipe e David (Fragapane); Romarinho (Tiago Orobó), Osvaldo (Yuri César) e Wellington Paulista (Ronald). Técnico: Rogério Ceni.

 

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba; Saravia, Rodrigo Moledo, Zé Gabriel e Moisés; Musto, Edenilson, Johnny (D’Alessandro) e Patrick (Nonato, depois Rodrigo Lindoso); Léo Ferreira (Abel Hernández) e Leandro Fernández (Boschilia) Técnico: Eduardo Coudet.

 

GOL – Felipe, aos 20 minutos do segundo tempo.

 

CARTÕES AMARELOS – Juninho (Fortaleza); Nonato, D’Alessandro e Boschilia (Internacional).

 

ÁRBITRO – Marielson Alves da Silva (BA).

 

RENDA E PÚBLICO – Jogo com portões fechados.

 

LOCAL – Arena Castelão, em Fortaleza (CE).

Com a cabeça no Gre-Nal, Internacional perde segunda seguida, agora do Fortaleza
Mais notícias