Torcedores de Atlético-MG e Cruzeiro transformam Mineirão em praça de guerra

Após o empate sem gols no clássico deste domingo, o Mineirão virou palco de guerra. Torcedores do Atlético-MG invadiram o setor de camarotes destinados a torcedores do Cruzeiro e a Polícia Militar teve de conter a confusão com bombas e gás de pimenta. Houve diversos feridos – o com estado mais grave foi atingido por uma bala de borracha e pode perder a visão. Duas pessoas foram detidas.

O tumulto começou após o fim da partida, quando atleticanos invadiram os setores de cruzeirenses no Mineirão. Além disso, outros torcedores alvinegros que estavam na arquibancada superior atiraram cadeiras.

O clássico ainda teve outras confusões. Antes da partida no Mineirão, 39 cruzeirenses foram detidos após entrarem em confronto no Anel Rodoviário de Belo Horizonte. Eles são integrantes das organizadas Máfia Azul e Pavilhão, ambas do Cruzeiro. As brigas entre as duas torcidas vêm ocorrendo há algum tempo, e elas não podem entrar nos estádios com bateria, faixas e bandeiras.

Outro tumulto foi registrado na chegada ao estádio, com o clássico já em andamento. A Polícia Militar teve de dispersar torcedores do Cruzeiro com gás de pimenta no lado de fora do Mineirão. Seis pessoas foram detidas, totalizando 47 presos por causa das brigas neste domingo.

No intervalo da partida, policiais voltaram a usar gás de pimenta para controlar uma confusão entre torcedores do Atlético-MG, no setor laranja do Mineirão. Várias pessoas tiverem de ser atendidas no posto médico por causa das confusões no clássico. A Polícia Militar ainda não contabilizou o número de feridos.

Após a partida, o atacante Luan, do Atlético-MG, lamentou a briga. “Muito feio isso, as duas grandes equipes do estado e quando tem briga é chato, é ruim para as duas partes. Família que vem no estádio comparecer e acaba presenciando essas coisas feias no futebol. Espero que acabe um dia, que o torcedor se comporte como gente”, disse.

Do lado do Cruzeiro, o zagueiro Fabrício Bruno também falou sobre a confusão. “Se for para vir e polemizar o jogo, para fazer o que a torcida do Atlético fez, é melhor não vir. Sou a favor de ter o clássico com duas torcidas em igualdade, porque para mim é bonito para o futebol. Mas, para acontecer isso que aconteceu ali, é ruim para todo mundo, principalmente para nós, que estamos ali para dar o show. Estou vendo muita gente reclamando do gás de pimenta, e agora eu estou sentindo também. Que a polícia e os órgãos responsáveis punam os responsáveis por tudo isso”, afirmou.

Mais notícias