Desisa supera compatriota no fim e devolve título mundial da maratona à Etiópia

Lelisa Desisa superou Mosinet Geremew no sprint final para dar ao atletismo da Etiópia uma dobradinha emocionante na maratona noturna do Mundial de Doha. A prova começou meia-noite do horário local, com 31ºC e “apenas” 48% de umidade relativa do ar.

Os representantes do país africano terminaram a disputa com os tempos de 2h10min40s e 2h10min44s, em briga acirrada pela medalha de ouro na corrida sob o forte calor no Catar.

Completando o pódio em noite um pouco menos quente que as anteriores, veio outro atleta da África: o queniano Amos Kipruto, com 2h10min51s, que ganhou o bronze, à frente do britânico Callum Hawkins, que repetiu o quarto lugar de Londres-2017.

Desisa e Geremew se distanciaram a 2km do fim da maratona e iniciaram disputa intensa pela vitória. Foi nesta briga final que Desisa, de 29 anos, superou o compatriota.

Medalhista de prata do Mundial de Moscou há seis anos, Desisa se tornou o primeiro etíope a conquistar o título da maratona desde Gezahegne Abera em 2001. Depois disso, essa tradicional prova da competição foi vencida quatro vezes por competidores do Quênia, duas vezes por representantes do Marrocos e uma vez por um atleta de Eritreia e uma outra por um de Uganda.

OUTRAS DISPUTAS – No salto triplo feminino, a venezuelana Yulimar Rojas saltou 15,37m e faturou o bicampeonato mundial. Ela também levou o título em Londres-2017. A prata ficou com a jamaicana Shaniek Ricketts, com 14,92m, seguida pela colombiana Caterine Ibarguen, que fez 14,73m.

Nos 1.500m feminino, o ouro ficou com a holandesa Sifan Hassan, que marcou o tempo de 3min51s95. Já nos 5.000m para mulheres quem subiu no lugar mais alto do pódio foi a queniana Hellen Obiri, com 14min26s72.

Mais notícias