Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Sinpol quer reduzir ainda mais velocidade de digitação para prova em concurso

O edital já foi alterado, mas candidatos acreditam que os critérios continuam exigentes

A polêmica a respeito da prova de digitação para o concurso de escrivão em Mato Grosso do Sul continua. Desta vez, o Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul) irá se reunir com a comissão organizadora do concurso para modificar os critérios da prova, que pede a digitação de 1.000 caracteres em cinco minutos.

A reunião acontece às 14h30 desta sexta-feira (18) com a comissão organizadora, a Delegacia Geral, SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), Escola de Governo e a Acadepol (Academia de Polícia Civil).

De acordo com o diretor jurídico do Sinpol, Max Andrade, mesmo com a alteração na prova prática, os critérios ainda são muito exigentes. “1.000 toques em cinco minutos equivalem a 200 toques por minuto. Nos editais de outros concursos, a norma é apenas 130 toques por minuto”, afirma.

Segundo Andrade, mesmo a dois dias da prova, ainda há tempo para tentar reverter a situação. “Somos um sindicato de policiais civis, mas tratamos com muito respeito aos aspirantes, somos solidários com a dor dos candidatos. Não sei se a tentativa vai surtir efeito tão próxima à data da prova, mas pelo menos os candidatos serão representados”.

Entre os candidatos, a informação é de que foi impetrado um mandado de segurança para ajustar a exigência da prova de digitação de 200 toques por minuto para 120 toques por minuto. “O mandado foi protocolado no Tribunal de Justiça e será julgado por desembargadores. Estamos aguardando as decisões e treinando muito a digitação, para o caso de não dar certo”, afirma uma candidata, que não quis se identificar.

Entenda o caso

Após causar revolta entre os candidatos, que até fizeram uma denúncia no Ministério Público, a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul mudou os critérios para a prova prática do concurso de escrivão na quinta-feira (17). A exigência da digitação de 2.000 caracteres em cinco minutos era considerada desumana pelos candidatos e, de acordo com publicação no Diário Oficial desta quinta-feira, foi reduzida pela metade: 1.000 caracteres.

O Ministério Público fez o pedido para a comissão organizadora do concurso, que alterou o edital. A prova acontece no domingo (20) e os candidatos ainda têm esperanças de uma nova mudança na prova de digitação.

Você pode gostar também