Cotidiano / Economia

MSGÁS convoca acionistas para incorporar reserva de lucro ao capital social da empresa

A MSGÁS publicou no Diário Oficial de Mato Grosso do Sul desta segunda-feira (1º) a convocação de assembleia geral extraordinária para incorporar reserva de lucro retido em 2019 ao capital social da empresa. A reunião está marcada para o dia 31 de março, às 14h. Conforme a publicação, a pauta da assembleia é: “Aprovar a […]

Gabriel Maymone Publicado em 01/03/2021, às 11h38

Sede da MS Gás, em Campo Grande. (Divulgação, Arquivo).
Sede da MS Gás, em Campo Grande. (Divulgação, Arquivo). - Sede da MS Gás, em Campo Grande. (Divulgação, Arquivo).

A MSGÁS publicou no Diário Oficial de Mato Grosso do Sul desta segunda-feira (1º) a convocação de assembleia geral extraordinária para incorporar reserva de lucro retido em 2019 ao capital social da empresa. A reunião está marcada para o dia 31 de março, às 14h.

Conforme a publicação, a pauta da assembleia é: “Aprovar a proposta de aumento de capital de aumento do capital social da Companhia mediante a integralização dos Lucros retidos de 2019”.

Naquele ano, a companhia teve crescimento de 704% no lucro líquido, que fechou com saldo positivo de R$ 41 milhões. A integralização dos lucros retidos se referem aos valores que não foram distribuídos entre os acionistas e que, se aprovado, ficará à disposição da empresa para fazer novos investimentos, por exemplo.

Ainda no Diário Oficial de MS, a Companhia de Gás de Mato Grosso do Sul outra pauta na mesma assembleia será para votar demonstrações financeiras do exercício 2020. Além disso, será discutido também a nova remuneração dos administradores da empresa.

A MSGÁS é uma sociedade de economia mista formada com 51% das ações do governo de MS e 49% pela Gaspetro, da Petrobras.

Privatização

A empresa está em processo de desestatização, que pode resultar na venda dos 51% pertencentes ao governo do Estado – apesar dos lucros – ou em uma PPI (Programa de Parceria de Investimento), em que uma empresa privada realiza investimentos na companhia em troca de explorar algum tipo de serviço.

No caso da MSGÁS, uma empresa pode investir na construção de um novo ramal de distribuição para alguma região de MS, em troca, fica com parte da taxa cobrada pela venda do gás natural.

Por enquanto, o processo está em fase de estudo, que irá definir qual o melhor caminho seguir. A previsão é de que o estudo fique pronto até o fim de março. Já o leilão deve ocorrer somente no ano que vem.

Jornal Midiamax