Juros baixos ajudam venda de imóveis, mas construção vê lucro ‘minguar’ com preços de materiais

Itens básicos como tijolo, cimento e aço tiveram reajustes durante a pandemia

Enquanto o setor imobiliário vive um bom momento, puxado principalmente pelas condições favoráveis de financiamento, a construção civil amarga queda nos lucros com a alta no preço dos materiais.

Para o presidente da Associação dos Construtores de (Acomasul), Adão Castilho, a valorização dos imóveis não acompanhou os custos da construção. “Teve um reajuste de mercado de 4% a 5% de valorização das obras”, explica, lembrando que alguns itens como tijolo e cobre tiveram os preços reajustados em 100% e 150%, respectivamente.

Assim, muitos construtores veem os lucros ‘minguarem’ e acabam deixando de contratar. “Estamos diminuindo a quantidade de construções e deixando de contratar para 2021. Temos consciência de que a hora que a demanda e oferta entrarem em equilíbrio, as indústrias vão reduzir os preços”, pontuou Castilho.

Com isso, o presidente da entidade acredita que não é o melhor momento para investir em imóveis. “Nós [construtores] reduzimos nossa carteira de em 50% das construções. Eu ainda estou terminando duas obras que comecei antes desse reajuste e estou amargando queda de 16,8% da valorização desse imóvel”, lamenta.

construção civil
Preço do tijolo é o dobro do praticado há um ano. (Foto: Nilzete Franco)

Para ilustrar o cenário da construção civil em , dados do (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) mostram que em 2020 o setor da construção civil foi o que menos teve crescimento de trabalho formal. Foram 960 postos de trabalho abertos pelo segmento, enquanto que a indústria, por exemplo, ampliou sua força de trabalho em 7.423 empregos criados. O comércio apresentou saldo de 3.618, o setor de serviços de 3.338 e a agropecuária também teve mais contratações, com 1.172 novos empregos.

Falta de infraestrutura

A falta de infraestrutura atrapalha a urbanização em algumas regiões da cidade, por não se enquadrarem em programas do governo como o ‘Casa Verde e Amarela’.

Isso porque o programa não permite financiamento de casas construídas em ruas sem asfalto. “Somos responsáveis pelo preenchimento de vazios urbanos, mas alguns bairros que não tem pavimentação estão abandonados como o Nova Campo Grande, por exemplo”, observou.

Condições para 2021

Por outro lado, a compra de imóveis deve continuar na tendência favorável este ano, segundo especialistas no mercado imobiliário. Isso porque teremos elementos como a taxa de juro básico da economia () no seu menor patamar histórico e estímulos adotados por instituições financeiras que reduziram os juros e aumentaram o limite para financiamento imobiliário em meio à pandemia.

Juros baixos ajudam venda de imóveis, mas construção vê lucro ‘minguar’ com preços de materiais
Mais notícias