IBGE prevê aumento de 5,2% na safra da soja que deve chegar a 11 milhões de toneladas em MS

Assim, Estado deve se aproximar de Goiás e ficar próximo de ser o 4º produtor do país

Prognóstico para 2021 publicado pelo (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) prevê aumento de 5,2% na safra da soja em , que deve ultrapassar os 11 milhões de toneladas. Na safra anterior, a produção estadual bateu os 10,5 milhões de toneladas.

O aumento, conforme o documento, se dá em função dos “preços mais compensadores da soja, em relação ao milho. Assim, os produtores devem ampliar suas áreas de cultivo, que em 2021 deve representar mais de 57,0% da área total
utilizada para o plantio de grãos, cereais, leguminosas e oleaginosas do País”, destaca.

Assim, o Estado que atualmente é o quinto maior produtor de soja do país deve se aproximar da produção de Goiás, o 4º maior produtor, que deve registrar queda de 2,5% na próxima safra, conforme o .

Mato Grosso lidera como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 28,7%, seguido pelo Paraná (15,9%), Rio Grande do Sul (10,3%), Goiás (10,3%), (8,7%) e (6,2%).

Produção recorde de soja no Brasil

Estimativa é de que o Brasil se torne o maior produtor de soja, ultrapassando os EUA, e registre a maior safra de grãos da história, apesar da queda prevista na produção de milho e de .

Segundo o , o recorde de 2020 deverá ser alcançado a partir do crescimento de 6,7% na produção de soja. “Essa será a primeira vez que o Brasil ultrapassará os Estados Unidos na produção de soja, se tornando o maior produtor mundial”, destacou o analista da coordenação de do , Carlos Alfredo Guedes.

A alta na produção de soja deverá ser puxada, sobretudo, pelo Mato Grosso, que aumentou em 2,2% a área plantada, e pelo Paraná, que é o segundo maior produtor nacional de soja prevê aumento de 22,5% da produção. “Esse estado sofreu muito esse ano em função da seca e temperaturas alta, então ele deverá recuperar sua produção em 2020”, ressaltou Guedes.

IBGE prevê aumento de 5,2% na safra da soja que deve chegar a 11 milhões de toneladas em MS
Mais notícias