Cotidiano / Economia

Dependente da Petrobras, MSGÁS abre chamada pública para buscar novos fornecedores

A MSGÁS (Distribuidora de Gás de Mato Grosso do Sul) abriu chamada pública para procurar novos fornecedores de gás natural. O aviso de edital foi publicado na edição de segunda-feira (1º) do Diário Oficial de MS. Conforme a publicação, o chamamento público tem como objetivo receber propostas de empresas interessadas em fornecer gás natural para […]

Gabriel Maymone Publicado em 02/03/2021, às 11h55

MSGÁS busca novos fornecedores de gás para sair da dependência da Petrobras. (Foto: Governo de MS / Divulgação)
MSGÁS busca novos fornecedores de gás para sair da dependência da Petrobras. (Foto: Governo de MS / Divulgação) - MSGÁS busca novos fornecedores de gás para sair da dependência da Petrobras. (Foto: Governo de MS / Divulgação)

A MSGÁS (Distribuidora de Gás de Mato Grosso do Sul) abriu chamada pública para procurar novos fornecedores de gás natural. O aviso de edital foi publicado na edição de segunda-feira (1º) do Diário Oficial de MS.

Conforme a publicação, o chamamento público tem como objetivo receber propostas de empresas interessadas em fornecer gás natural para a MSGÁS. O texto pontua que o suprimento pode ser com gás natural independente da origem. Atualmente, a única fornecedora de gás natural para a MSGÁS é a Petrobras. Como o país ainda não é autossustentável em gás natural, parte do combustível é importado da Bolívia.

Além da MSGÁS, fazem parte do chamamento para aquisição de gás natural as distribuidoras: COMPAGAS (Companhia Paranaense de Gás), GasBrasiliano (Gas Brasiliano), SCGÁS (Companhia de Gás de Santa Catarina) e SULGÁS (Companhia de Gás do Estado do Rio Grande do Sul).

No site do chamamento público, a MSGÁS informa que o objetivo do suprimento será para complementar o volume não contratado a partir de 2022 e identificar potenciais supridores de gás natural para o período após o vencimento dos atuais contratos com a Petrobras.

Segundo a assessoria de imprensa da MSGÁS, com a chamada pública, “será possível conseguir melhores condições de compra”.

Jornal Midiamax