Cotidiano / Economia

B3 fecha em alta pela primeira vez em três semanas

Após três semanas de instabilidade, a Bolsa de Valores Brasileira (B3) fechou em alta de 2,23% no dia 5 de março, superando os 115 mil pontos.

Produção Publicado em 30/03/2021, às 17h05

Foto: Unsplash
Foto: Unsplash - Foto: Unsplash

Após três semanas de instabilidade, a Bolsa de Valores Brasileira (B3) fechou em alta de 2,23% no dia 5 de março, superando os 115 mil pontos, conforme apontado por matéria publicada no G1. Apesar de ainda não estar no mesmo patamar das primeiras semanas do ano, quando superou os 124 mil pontos, o índice parece estar ganhando fôlego e mostrando alguns sinais de recuperação.

Muita gente vem acompanhando esse movimento de perto. Nos últimos dois anos, o número de contas cadastradas na B3 passou de cerca de 1,6 milhão, em 2019, para 3,17 milhões até novembro de 2020. Além disso, 68% dos investidores do país são considerados jovens e estão na faixa entre 18 e 30 anos de idade, o que demonstra que os jovens estão, sim, preocupados com o seu futuro.

De acordo com Juliana Machado, especialista em fundos da EXAME Research, um dos fatores que têm contribuído para o aumento de investidores no Brasil, principalmente na faixa etária mais jovem, é o papel dos influenciadores digitais que levam informação a esse público. Eles têm mostrado para os brasileiros que todo mundo pode investir, independentemente da situação financeira de cada um.

Segundo dados da B3, mundialmente conhecida como Bovespa, mais da metade dos investidores brasileiros buscam se informar sobre o assunto acessando no YouTube os canais de influenciadores digitais, visto que ali encontram dicas e informações relevantes sobre investimentos.

Educação é a principal aliada dos investidores

Hoje em dia, é bastante comum encontrarmos conteúdos de qualidade relacionados à educação financeira, além de cursos sobre o mercado de ações no país, aulas que ensinam como funciona a bolsa de valores e até mesmo guias para o investidor iniciante.

B3 fecha em alta pela primeira vez em três semanas
Foto: Unsplash

Com foco na educação financeira dos brasileiros, a jornalista Nathalia Arcuri, com seu canal Me Poupe!, é uma das maiores influencers nesse setor, tendo mais de 5,87 milhões de seguidores. O canal O Primo Rico também angariou seus 4,55 milhões de seguidores com vídeos direcionados principalmente para investimento na bolsa de valores.

Todo esse sucesso influencia as empresas a investirem na educação como forma de atrair novos clientes. É o caso, por exemplo, da Infinox, uma plataforma de investimentos que desenvolveu materiais educacionais completos com informações confiáveis e precisas para investidores iniciantes, além de disponibilizar contas demo que possibilitam ao novo usuário treinar o que aprende.

A influência do mercado de ações para a economia

Ao contrário do que acontece quando você deixa o dinheiro parado no banco, em uma poupança, por exemplo, investir em ações é também investir no crescimento econômico do país. Isso porque, quando você compra uma ação, está financiando a empresa para que ela possa adquirir máquinas e equipamentos, aumentar a sua capacidade e, consequentemente, contratar mais pessoas. Tudo isso contribui para gerar riqueza na comunidade onde a empresa está inserida.

No entanto, é preciso ter em mente que o investimento em ações é um investimento de risco, com foco a longo prazo. Se o seu objetivo é comprar uma casa no próximo ano, fazer uma viagem ou mesmo criar uma reserva de emergência, é melhor procurar algo mais seguro. Mas se não tem medo de arriscar e quer contribuir para o crescimento da economia, as ações podem ser o seu investimento — como o demais de 3 milhões de brasileiros.

Jornal Midiamax