Indústrias não podem parar, se não pode prejudicar abastecimento de MS, diz Riedel

Secretário comentou que indústrias devem adotar medidas necessárias para cuidar da saúde dos funcionários

Com decreto impedindo a aglomeração de lugares com mais de 20 pessoas para evitar o contágio do Covid-19, o novo coronavírus, muitos funcionários de empresas grandes e indústrias denunciaram trabalhar em situação de risco perante a doença. Mas de acordo com o governo, essas empresas não pode paralisar o trabalho, caso contrário, MS pode passar por desabastecimento.

Conforme disse o secretário de Governo Eduardo Correa Riedel nesta terça-feira (24), a alternativa é que os empresários das grandes indústrias adotem medidas protetivas aos funcionários e mantenha um ambiente de trabalho seguro para todos diante da pandemia.

“Nossas indústrias não podem parar, se não isso vai afetar o abastecimento do Estado. O que se deve fazer, é disponibilizar álcool em gel aos funcionários, tentar reduzir a quantidade de pessoas no mesmo local para evitar aglomeração. O Jayme [Verruck, da Semagro] está acompanhando a situação”, comentou, sobre o trabalho da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar.

Riedel também destacou a importância do trabalho das usinas, como a sucroalcooleira. “Se não fosse a indústria, como a Biosul, não teríamos recebido a doação dos 200 mil litros de álcool para distribuir nos hospitais e unidades de saúde para o combate ao coronavírus”, pontuou o secretário.

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) divulgou um novo balanço do novo coronavírus, o Covid-19 em Mato Grosso do Sul. No boletim epidemiológico atualizado, os casos confirmados subiram para 24. Não há nenhuma morte registrada no Estado e há outros 38 casos suspeitos.

Indústrias não podem parar, se não pode prejudicar abastecimento de MS, diz Riedel
Mais notícias