Dólar fecha em leve queda após recuperação do crédito em setembro

Num dia de tensões no mercado externo e de divulgação de dados econômicos no Brasil, o dólar encerrou com leve queda depois de uma sessão volátil. A bolsa de valores também caiu, mas conseguiu manter-se acima dos 100 mil pontos.

O dólar comercial fechou esta segunda-feira (26) vendido a R$ 5,612, com recuo de R$ 0,015 (-0,27%). A cotação alternou momentos de alta e de baixa ao longo da sessão. Na máxima do dia, por volta das 9h50, chegou a R$ 5,66.

A divisa foi influenciada pelo mercado internacional. A proximidade das eleições norte-americanas, na próxima semana, e a segunda onda de casos de covid-19 na abalaram os mercados. Neste fim de semana, a entrou em estado de emergência e a anunciou recorde de novos casos diários.

No entanto, o dólar passou a cair depois que o (BC) divulgou os dados do crédito no Brasil em setembro. Apesar de as taxas médias do cheque especial terem subido no mês passado, os juros de diversas modalidades de crédito caíram, o estoque de crédito na economia brasileira aumentou 1,9%. A inadimplência também caiu, sugerindo o início de um ciclo de recuperação econômica.

No mercado de ações, o índice , da B3, encerrou a segunda-feira aos 101.017 pontos, com queda de 0,24%. O indicador chegou a subir 0,52% durante a manhã, mas reverteu o movimento. Depois de cair 1,48% por volta das 14h30, o índice desacelerou a queda até fechar próximo da estabilidade.

Dólar fecha em leve queda após recuperação do crédito em setembro
Mais notícias