Comércio em Campo Grande já estima perdas com pandemia de coronavírus em R$ 90 milhões

Impacto pode superar os R$ 300 milhões em MS até o fim do mês

As medidas de contenção ao novo coronavírus, como a autoquarentena, causou perda de pelo menos R$ 90 milhões somente entre os dias 2 e 19 de março em Campo Grande, segundo pesquisa desenvolvida pelo IPF-MS (Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS), em parceria com o Sindivarejo e CDL de Campo Grande.

Se as recomendações de autoquarentena continuarem, o impacto em um mês é estimado em R$ 270 milhões para Campo Grande e mais de R$ 300 milhões no Estado. A projeção já considera o decreto municipal que suspendeu atendimento presencial em estabelecimentos comerciais até o dia 05 de abril.

“É um cenário preocupante para a saúde de nossa economia, por isso estamos desde o início desta semana postulando medidas de apoio às empresas como dilação de prazo para recolhimento de impostos, redução de alíquotas e postergação de prazo para entrega de declaração”, diz o presidente do Sistema Fecomércio-MS, Edison Araújo.

Dos empresários entrevistados, 88% informam queda nas vendas, estimando em 69,27% o declínio para os próximos dias. O reflexo direto está na redução do número de colaboradores, projetada em 24,58%.

Fôlego

Como estratégia, as vendas à distância, que já aumentaram, assim como entregas em domicílio, devem ser intensificadas. A mudança na forma de cumprimento e disponibilização de álcool em gel são as principais medidas preventivas adotadas pelos estabelecimentos.

Comércio em Campo Grande já estima perdas com pandemia de coronavírus em R$ 90 milhões
Mais notícias