Comerciantes paraguaios fazem novos protestos para reabrir fronteiras

Medidas restritivas já atingem mais de 6 mil pessoas em Pedro Juan Caballero, divisa com Mato Grosso do Sul

Pressionados pelo sucateamento da economia em decorrência da pandemia do coronavírus, comerciantes paraguaios de quatro cidades fazem manifestações para pedir reabertura das fronteiras. Os protestos aconteceram nesta segunda-feira (13).

Além de pedirem o fim das barreiras que impedem a circulação de consumidores brasileiros, comerciantes e empresários exigiram uma série de demandas por reativação econômica. Eles pedem subsídios, créditos brutos e isenção de pagamento de serviços públicos.

As manifestações foram organizadas de forma simultânea e aconteceram em ,  Cidade do Este, Salto do Guairá e Encarnação.

Em , fronteira com  Ponta Porã, cidade sul-mato-grossense, os comerciantes foram às ruas para pedirem a reabertura da Linha Internacional que separa as duas cidades e que está ocupada pelo exército paraguaio.

“Estamos cansados de promessas, queremos que uma mesa de diálogo permanente seja habilitada com o Ministro da ou alguém que tenha a possibilidade de tomar decisões. Até agora, nenhuma das propostas enviadas ao Governo foram levadas em conta, disse o diretor da Câmara de Comércio de Alejandro Benítez Araña.

Segundo o empresário, a situação em está cada vez pior, uma vez que alguns programas anunciados pelo pelas autoridades paraguaias não atingiram os mais necessitados. Ele acrescentou que quase 6.000 pessoas perderam seus empregos.

Já na Cidade do Este, empresários e comerciantes fizeram uma caravana em uma viagem de 10 km ao longo da rota PY02 para exigir maior velocidade, clareza e afetividade das medidas de revitalização econômica. A mobilização foi concluída na conhecida rotatória “Oasis”, no centro da cidade.

 

Comerciantes paraguaios fazem novos protestos para reabrir fronteiras
Mais notícias