Com alta do dólar, vendas na fronteira do Paraguai com MS despencam até 40%

Apenas setor de consumo primário não foi afetado

Não são só viagens à Disney, ou ao exterior, as afetadas com o dólar americano em constante alta. O valor da moeda afeta diretamente o comércio na fronteira do Brasil com o Paraguai, que já sentiu uma queda de 25% a 40% nas vendas nos últimos dias. Na manhã desta quarta-feira (11) o valor da moeda chegou aos R$ 4,75.

Vale destacar que a alta da moeda é atribuída pelos economistas principalmente a pandemia atual do coronavírus (Covid-19). A doença está se espalhando pelo mundo e, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), atualmente são maisd e 118 mil casos em 114 países, com 4.291 mortes.

De acordo com o presidente da Câmara da Indústria e Comércio de Pedro Juan Caballero, Víctor Hugo Barreto, a constante subida da cotação da moeda americana não é nada bom para o comerciante.

“Com o dólar alto e a incerteza da economia mundial, o mercado é afetado rapidamente. Nas últimas semanas subiu muito a cotação da moeda americana e isso não é nada bom para o comércio de importados”, declarou.

Víctor ainda ressalta que o comerciante está tentando se reinventar para sobreviver a situação atual da economia. “Estamos aqui nos reinventando para superar a pior crise de todos os tempos”, disse.

“Todos os setores, exceto o de consumo primário, estão sendo afetados. Todos estamos especulando. A Câmara do Comércio fará toda estratégia possível para continuar incentivando o turismo na fronteira. Inclusive estamos baixando os preços em produtos que podemos para não ter prejuízo e girar a mercadoria”, destacou Víctor.

Quarentena

Três dias após a confirmação do primeiro caso de coronavírus (Covid-19) no país, o Paraguai anunciou na terça-feira (10) que a população deve se manter em quarentena por 15 dias, medida para evitar que a doença se espalhe.

Durante a quinzena ficam interrompidos grandes eventos como shows, jogos de futebol, celebrações religiosas, além das aulas.

Na manhã desta quarta-feira (11), o ministro da Saúde paraguaio, Júlio Mazzoleni declarou que dos 5 casos confirmados no país, três são de pessoas internadas e sob cuidados intensivos, além disso 18 casos suspeitos de coronavírus são investigados.

Os casos sob investigação seriam de pessoas que apresentaram os sintomas de síndrome gripal após contato com pessoas doentes, o que pode indicar transmissão comunitária. Outras 100, que também tiveram contato com doentes, não apresentaram sintomas, mas seguem em monitoramento pelas autoridades sanitárias.

Com alta do dólar, vendas na fronteira do Paraguai com MS despencam até 40%
Mais notícias