Tem dívida? Feirão da Serasa atende até dia 30 com descontos de até 98%

Até o mês passado, Campo Grande tinha 308.146 mil inadimplentes

Se você faz parte dos mais de 300 mil campo-grandenses que estão com o nome sujo e precisam renegociar suas dívidas, até o dia 30 deste mês de novembro Feirão Serasa Limpa Nome atende presencialmente no Centro. A boa notícia para os devedores é que os descontos para quitar as dívidas podem chegar até 98%.

Segundo a Serasa, até setembro deste ano Campo Grande tinha cerca de 308.146 mil inadimplentes. O Feirão Serasa Limpa Nome facilita o processo de renegociação de dívidas em um único local.

Ao todo, serão 30 empresas participantes, como Santander, Itaú, Recovery, Ativos, Net, Claro, Embatel, Anhaguera, Credsystem, Ipanema, Unopar, Sky, Nextel, Banco BMG, Digio, Hoepers, Porto Seguro, Tricard, Oi, Zema, Unic, Fama, Pitágoras, Uniderp, Unime. Todas elas com oportunidades exclusivas, prazos de pagamentos diferenciados, além de descontos para a quitação das contas em atraso.

O ponto de atendimento presencial para os campo-grandenses fica na rua Barão do Rio Branco, 2199 – Lj 3 – Centro. O horário é das 8h às 18h.

Inadimplentes

Segundo estudo desenvolvido pela Serasa Experian, em setembro de 2019, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 63.2 milhões, 3.7% a mais do que em setembro de 2018, quando eram 60,9 milhões. O montante alcançado pelas dívidas até setembro de 2019 foi de R$ 252 bilhões, com o valor médio de R$ 3.997,00.

A maior concentração dos negativados tem entre 26 e 40 anos (38,3% do total). Em segundo no ranking de participação entre os inadimplentes estão pessoas de 41 e 60 anos, que correspondem por 34,5% do total.

Questões de gênero, a inadimplência está dividida praticamente por igual: 47,7% são homens, e 47,2% são mulheres. A maioria das dívidas foi contraída junto aos setores bancários e de cartão de crédito, totalizando 28% do total. O setor de utilities (contas básicas como energia elétrica, água e gás) respondeu por 19% do total de débitos em atraso. O setor de telefonia alcançou 11% do montante. Já o setor de varejo respondeu por 12,7% da inadimplência.

Experian vem contribuindo para a transformação do mercado de soluções de informação, com a incorporação contínua dos mais avançados recursos de inteligência e tecnologia.

Mais notícias