Prefeitura eleva gastos com servidores e continua no limite prudencial da LRF

Secretário de Finanças atribui aumento aos reajustes de servidores, que começaram a ser pagos neste fim de ano

A Prefeitura de Campo Grande continua no limite prudencial quanto aos gastos com servidores, segundo relatório divulgado nesta terça-feira (26). O comprometimento da receita é de 51,78% ou R$ 1.736.243.409,13.

A margem é prevista na LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) e delimita percentuais de comprometimento da receita com o funcionalismo. “Prudencial” está entre os níveis de “alerta” e “máximo”. O quadro mais grave é quando chega ao “máximo”, 54%

No balanço de outubro, o Executivo municipal estava com 51,43%, já no limite de prudencial. Em setembro, o relatório apontava diminuição dos gastos, com 51,14% de comprometimento da receita com servidores e estava no limite de alerta.

O relatório desta terça-feira refere-se aos gastos de novembro de 2018 até outubro de 2019 e a comparação é com a receita corrente líquida, que está em R$ 3.353.002.251,59.

Segundo o secretário de Finanças e Orçamentos de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, apesar de o índice ter aumentado nos últimos meses, a oscilação ainda é pequena e pode aumentar no próximo mês por causa dos reajustes concedidos no fim de ano. Contudo, o secretário afirma que se houver aumento de receita, o índice pode cair.

Mais notícias