Na Arábia Saudita, Tereza Cristina encontra representantes do setor avícola

Na primeira fase da viagem, ela conseguiu abertura do mercado egípcio para produtos lácteos.

Após conseguir a abertura do mercado egípcio para os produtos lácteos brasileiros, a ministra Tereza Cristina (DEM) iniciou nesta segunda-feira (16) agenda na Arábia Saudita, onde já se reuniu com representantes do setor avícola. O destino é o segundo de uma viagem comercial de 12 dias ao Oriente Médio.

“Colocando na mesa de forma transparente o que cada lado quer, fica mais fácil caminhar para o êxito, para o que queremos [os dois países]”, disse a ministra, enfatizando que o Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) irá manter canal de diálogo aberto para facilitar os negócios com os sauditas.

Seu primeiro compromisso desta segunda-feira (16) foi reunião com o vice-ministro do Meio Ambiente, Água e Agricultura, Mansour bin Hilal Al Mushaiti, sobre acordo bilateral de cooperação técnica na agropecuária. Al Mushaiti agradeceu o interesse brasileiro em parceria.

No encontro, Tereza Cristina tratou também das exportações para o país árabe, importador de carnes de frango e bovina. Em 2018, foram mais de 486 mil toneladas de carne de frango importada somando US$ 804 milhões. Já na importação de carne bovina, o país consumiu 41,93 mil toneladas, equivalentes a US$ 154 milhões. O país – cujos produtos buscados são açúcar, soja, milho, café solúvel, ovos e café verde – demonstrou interesse na comercialização de forragem para ração animal produzida no Brasil.

Setor avícola

Conforme divulgado pela Mapa, Tereza Cristina participou ainda de almoço de trabalho com representantes do setor avícola saudita, aos quais destacou que o ministério trabalha para facilitar as oportunidades de negócios.

“Quero dizer que o Ministério está pronto para facilitar a vida dos empreendedores, o Ministério não pode atrapalhar. Podemos fazer muito mais juntos e em parceria”, disse. Ela adiantou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) irá visitar a região no próximo mês. “Espero levar resultados positivos e os que não estiverem prontos que o presidente Jair Bolsonaro possa, em outubro, anunciar os avanços”, finalizou. 

Mais notícias