Publicidade

Mudança na previdência custará um PIB aos cofres públicos, diz ex-ministro

Atual PIB do país é de R$ 7 trilhões e rombo da previdência é de quase R$ 300 bilhões

Contador e ex-ministro da Previdência Social do Brasil, Carlos Eduardo Gabas disse durante audiência pública que debateu a reforma previdenciária, que a nova reforma deverá custar um PIB – pelo menos R$ 7 trilhões – aos cofres públicos, valor muito maior do que o rombo vivido pela previdência, que é de quase R$ 300 bilhões.

Gabas comentou durante a audiência pública na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira, em Campo Grande, que a transição da atual previdência para a nova em que está sendo proposta pode chegar a dobrar os custos de adaptação. “Se for uma estimativa baixa, custaria R$ 7 trilhões, mas em outra estimativa, a nova reforma pode ter um custo de R$ 14 trilhões. Se você acha que está ruim, vai piorar muito”, disse o ex-ministro sobre a economia do país.

O ex-ministro ainda afirmou que muitos idosos não deverão conseguir se aposentar, pois com nova estimativa de contribuição, de no mínimo 40 anos, contribuintes se aposentarão com um valor de BPC (Benefício de Prestação Continuada) muito baixa.

“Isso é um caso pensando. Tem gente que não consegue contribuir com o mínimo atual, que é de 20 anos. Com os 40 anos de contribuição que estão propondo, os idosos vão receber pouco porque não vão atingir esse mínimo”, pontou. Gabas ainda sugeriu que além de discutir a previdência social, é necessário abordar a reforma tributária que não sofre mudanças desde o governo de Fernando Henrique Cardoso.

Mais notícias