Juros acompanham dólar e se ajustam para baixo

Moeda estadunidense chegou a atingir mínima no patamar dos R$ 4,03

As taxas de juros negociadas no mercado futuro oscilam em baixa nesta primeira hora de negócios, principalmente nos vencimentos intermediários e longos. O sinal é determinado pelo dólar, que recua moderadamente e chegou a atingir mínima no patamar dos R$ 4,03.

Às 10h13, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2021 tinha taxa de 4,61%, ante 4,62% do ajuste anterior. O DI para janeiro de 2023 projetava 5,87%, ante 5,92% do ajuste anterior. Na ponta longa da curva, o DI para janeiro de 2025 tinha taxa de 6,53%, de 6,57%.

A quinta-feira pós feriado de Natal deve ser marcada por liquidez reduzida e oscilações contidas no mercado futuro de juros, assim como já aconteceu na última sessão de negócios, na última segunda-feira, quando o mercado movimentou cerca de um terço do volume de um dia normal.

Na agenda doméstica, os destaques desta manhã ficam por conta dos índices da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que medem a confiança dos setores de serviços e do comércio. O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 1,1 ponto na passagem de novembro para dezembro, para 96,1 pontos, na série com ajuste sazonal. Em médias móveis trimestrais, o índice teve alta de 0,7 ponto, mantendo a tendência ascendente iniciada em julho deste ano.

Já o Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 0,3 ponto na passagem de novembro para dezembro, para 98,1 pontos, informou há pouco FGV. No índice de médias móveis trimestrais, o indicador subiu 0,3 pontos em dezembro, após uma queda em novembro.

Mais notícias