Disposição para gastar: Páscoa deve movimentar mais de R$ 138 milhões em MS

Moradores devem gastar, em média, R$ 91,92 com compras no feriado

Pesquisa de intenção de compras para as comemorações da Páscoa, aponta que mais de R$ 138 milhões serão injetados na economia de Mato Grosso do Sul. O levantamento também indica que moradores estão dispostos ‘a colocar a mão no bolso’ e desembolsar até R$ 91,92 com as compras no feriado.

Conforme dados levantados pelo IPF/MS e SEBRAE, R$ 138 milhões são divididos em duas situações distintas, sendo R$ 78,18 milhões que deverão ser gastos com presentes pascoais, como chocolates, e R$ 62,14 milhões às comemorações da data. Esse valor é 20,71% superior ao do ano passado

A maior parte das compras será feita em supermercados (43,9%) e a pesquisadora aponta que é importante que empresários se preparem para terem troco, já que 84,2% dos pesquisados afirmam que vão pagar em dinheiro.

Presentes

De acordo com a pesquisa, a maioria das pessoas vai dar apenas um presente pascoal (31,16%) e os filhos serão os maiores beneficiados (29,09%).  Na sequência, vem as mães (14,13%), os  namorados(as) (13,63%) e  sobrinhos (as) (8,51%).

Os maiores gastos médios com presentes pascoais ocorrerão nas cidades de Bonito (R$ 113,19) e em Dourados (R$ 106,68).  Com relação as comemorações, os gastos mais elevados serão em Corumbá/Ladário (R$ 110,02) e também em Dourados (R$ 107,20).

Comemorações

Com relação as comemorações, o sul-mato-grossense não deve viajar e a alimentação em casa é a opção da maioria dos entrevistados (35,1%). O consumo de peixe é a preferência (33,86%) com destaque para o Pintado (30,96%), Pacu (27,60%) e Tilápia (16,95%). 10,45% afirmaram que farão churrasco no Domingo de Páscoa.

Economia se anima

Para o presidente do IPF MS, Edison Araújo, alguns fatores contribuíram para os resultados mais otimistas. “Ao longo dos meses, percebemos uma melhora na intenção de consumo das famílias, o aumento do índice de confiança do empresário e a evolução do saldo de emprego, além da melhoria das perspectivas do cenário político que, juntos, colaboram para a melhoria da economia”.

Segundo a economista Daniela Dias, com exceção de Corumbá e Ladário – que apresentaram uma redução de 0,92% na sua movimentação financeira – e de Ponta Porã – que terá menos 2,95% – todos os demais municípios terão aumento na movimentação financeira com a Páscoa, com destaque para Dourados que poderá apresentar crescimento de 29,75%, em relação ao ano passado.

“Mesmo naquelas cidades onde as expectativas são menos positivas, os percentuais de queda são discretos e podem ser revertidos a partir de estratégias comerciais para a atratividade de clientes e de estímulos a comemorações”.

Mais notícias