Publicidade

Dia das Mães: campo-grandenses devem gastar até R$ 200 com presentes

Roupas, calçados e acessórios devem ser os campeões de venda neste ano

Levantamento feito pela CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas) em parceria com o SPC Brasil revela que 78% dos consumidores devem realizar pelo menos uma compra em alusão ao Dia das Mães, uma das principais datas que aquece o varejo durante o ano.

Dentre os que vão gastar mais, a maior parte (56%) alega que comprará um presente melhor para a mãe. Já 22% justificam com o aumento dos preços dos produtos e 18% vão comprar mais presentes, o que acabam resultando em um gasto maior.

Por outro lado, considerando os que vão colocar o pé no freio na hora dos gastos, 32% culpam o orçamento apertado no atual momento, 24% têm como objetivo economizar e 13% atribuem o gasto menor à economia instável do país. Há ainda 11% que afirmam estarem desempregados.

“Em um momento de crise onde o emprego está em baixa, essas datas são importantes para medir como a economia irá reagir nos próximos meses”, afirma o presidente da CDL/CG, Adelaido Vila.

Campões de venda

A pesquisa ainda revela que no Dia das Mães deste ano, os produtos campeões de venda devem ser as roupas, calçados e acessórios (42%), perfumes (36%), cosméticos (23%) e chocolates (19%). O ranking ainda é formado por flores (15%), maquiagem (13%), ida a restaurantes (12%) e utensílios de cozinha (12%).

Os shopping centers, que reúnem diversas lojas e se destacam pela variedade de opções, despontam como o principal centro de compra do Dia das Mães deste ano: mais de um terço (34%) dos consumidores devem realizar a maior parte das compras nesse tipo de estabelecimento.

A internet aparece na segunda colocação com 30%, seguida dos shoppings populares (18%) e das lojas de departamento (18%). Para os entrevistados, os fatores que mais pesam na escolha do local de compra são a atratividade do preço (52%), as promoções (40%) e a qualidade dos produtos (39%).

A análise de dados do Google Trends em Mato Grosso do Sul mostra aumento repentino em buscas a respeito de presentes para dia das mães e shoppings virtuais. O salto de quase 80% de aumento do final de abril até agora, com destaque para as palavras: “promoção”, “presente mães”, “liquidação dia das mães”.

Outra constatação do estudo é que a maioria dos consumidores pretende não se endividar no Dia das Mães, dando preferência para o pagamento à vista (65%), sendo que em 45% dos casos o pagamento será em dinheiro e em 22%, no cartão de débito.

O pagamento a prazo será escolha de quase metade (49%) dos entrevistados, sobretudo no cartão de crédito parcelado (25%) ou em parcela única também do cartão de crédito (18%). Entre os que dividirão as compras, a média será de quatro parcelas, isso significa que o consumidor só se verá livre desse compromisso em meados de setembro.

“O consumidor está mais cuidadoso e não quer prolongar tempo de endividamento, por isso, o lojista que ofertar melhores descontos no pagamento à vista pode se destacar”, avalia Vila.

Outro comportamento imprudente é que 34% das pessoas ouvidas admitem ter o costume de gastar mais do que podem para agradar as mães com presentes e 16% reconhecem que podem deixar de honrar algum compromisso financeiro para ir as compras neste Dia das Mães, um crescimento expressivo, uma vez que no ano passado, esse comportamento estava presente em apenas 6% dos entrevistados.

(Assessoria)

Mais notícias