‘Vamos gastar’: intenção de consumo em Campo Grande fica estável em fevereiro

Perspectiva profissional foi a que apresentou alta de 3,5%

A pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), publicada pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), revelou que houve estabilidade no índice apurado em Campo Grande (MS) durante o mês de fevereiro, quando os números ficaram na casa de 101 pontos.

“Após ficar na chamada zona negativa desde julho de 2015, ou seja, abaixo dos 100 pontos, em janeiro deste ano a intenção de consumo das famílias se recuperou. Foi um processo lento e gradativo, acompanhando a economia”, diz o presidente do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS), Edison Araújo.

Dentre os aspectos avaliados na pesquisa, a perspectiva profissional foi a que apresentou melhor reação de um mês para outro: 3,5%. Além disso, mais famílias apontam reação no nível de consumo e acreditam que o momento está melhor para compra à prazo.

Por outro lado, a perspectiva é de passar a comprar menos, inclusive bens duráveis e aumentou o índice dos que enxergam depressão no nível de renda atual.

Sobre a perspectiva profissional, 64,2% dos responsáveis pelos domicílios esperam melhora para os próximos seis meses. Quanto ao atual nível de consumo, embora esteja melhor que o mensurado em janeiro, 41,7% ainda informam que estão comprando menos que no mesmo período do ano passado, enquanto 22,7% informam terem aumentado as compras e 35,6% mantiveram o ritmo.

Clique AQUI para conferir a pesquisa na íntegra (Com informações da assessoria).

Mais notícias