Liberação das estradas faz setor de serviços crescer em MS, mas não recupera prejuízo de maio

Em MS, setor de serviços registrou um aumento de 5,3%, após queda de 8,3% em maio

Em junho, o volume de serviços no Brasil subiu 6,6%, recuperando-se da queda de 5,0% registrada em maio – quando ocorreu a greve dos caminhoneiros. Esse foi o maior resultado da série histórica iniciada em janeiro de 2011 para o Brasil. Já em Mato Grosso do Sul, o setor de serviços em junho registrou um aumento de 5,3%, após uma retração em 8,3% em maio.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), publicada nesta terça-feira (14). O aumento do volume de serviços em junho, porém, não foi suficiente para recuperar a queda em maio em MS. O acumulado do ano, de janeiro a junho, aponta que Mato Grosso do Sul teve uma variação negativa de 1,3% no volume de serviços.

Quanto à receita nominal de serviços, o estado registrou um aumento de 5,1% em junho, após a queda de 5,5% de maio. Assim como o indicador de volume, o aumento da receita durante o mês também não foi suficiente para recuperar o prejuízo em maio, quando houve a greve no setor dos transportes.

Segundo o IBGE, o avanço do volume de serviços no Brasil (6,6%) foi acompanhado por quatro das cinco atividades investigadas, com destaque para transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que ao crescer 15,7% em junho eliminou a perda de 10,6% verificada em maio.

O segmento de transporte terrestre também alcançou a maior taxa da série (23,4%) em junho de 2018, impulsionado principalmente pelo aumento na receita das empresas de transporte rodoviário de carga, que representam 59,7% dos transportes terrestres.

Mais notícias