Publicidade

Intenção de consumo recua após quatro meses seguidos de alta

Queda de 1,7% foi registrada neste mês

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) apresentou queda de 1,7% em relação ao mês passado, conforme revelou levantamento feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). É o primeiro registro de recuo na intenção de consumo após quatro meses de crescimento.

A pesquisa somou 96,9 pontos em outubro, o que reflete em queda de 1,7% em relação a setembro, que alcançou 98,5. Todavia, na comparação anual, o aumento foi de 20,67%. Vale destacar, no entanto, que dos sete indicadores apurados, apenas dois apresentaram índices positivos, emprego atual (4,8%) e compra a prazo (acesso ao crédito), com 1,6%.

O momento para duráveis foi o que registrou mais pessimismo (-11,5%), seguido pelo nível de consumo atual (-5,4%). A confiança é maior que a média para os que recebem mais de 10 salários mínimos (109,3 pontos) e menor entre os que recebem até 10 salários (94,4 pontos).

Para o presidente da Fecomércio-MS (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), Edison Araújo, o período eleitoral reflete nos resultados do levantamento e a expectativa é que em novembro, mês que antecede o Natal, o fôlego do comércio seja recuperado.

“É natural essa queda, diante das incertezas. Além disso, após o Dia das Crianças é comum haver uma queda de intenção de consumo, com vistas a reservar o fôlego das compras para o final do ano. Passando o período eleitoral e diante dos preparativos para o Natal, Ano Novo e as confraternizações de dezembro, acreditamos em uma melhora na confiança do consumidor”, conclui.

Para conferir a pesquisa na íntegra, clique AQUI.

Mais notícias