Variação no preço de material escolar em Dourados passa de 100%

Pesquisa do Procon recomenda prudência na hora das compras

O consumidor douradense terá que percorrer diversas livrarias para conseguir adquirir o material escolar dos filhos de forma que não pese muito no orçamento. Uma pesquisa realizada pelo Procon de Dourados em 11 estabelecimentos comerciais da cidade  aponta uma diferença de até 109,1%, em 32 produtos,  entre a papelaria com menor e o de maior preço .

Segundo o órgão, foram pesquisados 70 itens e algumas das maiores diferenças de preço encontradas foram de 2.207,69% no papel almaço com pauta; 1.033,33% no papel almaço sem pauta; 757,14% no apontador de lápis simples  e de  733,33% no caderno de caligrafia com brochura 48.

A boa notícia é que, em relação relação à pesquisa realizada no mês de fevereiro de 2019 houve queda de 9,8%, considerando os produtos encontrados em todos os estabelecimentos.Mesmo assim, na busca pelo menor preço é importante que o consumidor não se esqueça de atentar pela qualidade e procedências dos produtos, evitando ter de efetuar novamente compras de materiais que deveriam durar ao menos até o final do ano letivo.

Segundo o diretor do Procon, Antônio Marcos Marques, a pesquisa tem como principal objetivo fornecer ao consumidor uma amostra das diferenças de preços que ele pode encontrar no mercado de material escolar, chamando a atenção para a necessidade da comparação antes da compra.

Os preços dos produtos podem ter variações consideráveis de um estabelecimento para outro, inclusive por ocasião de descontos especiais, promoções e principalmente diferença de marcas. Por isso, conforme o Procon, o consumidor deve fazer uma pesquisa em vários estabelecimentos, negociar descontos e prazos para pagamento. A compra em conjunto pode facilitar as negociações.

Para garantir o orçamento doméstico no início do ano, já bastante comprometido com as faturas de compras do final do ano passado e de impostos e taxas para o ano vigente, é fundamental racionalizar a compra de material escolar, buscando aproveitar materiais utilizados no ano anterior, que estejam em boas condições de uso. Outra dica importante do Procon é a de promover e participar da troca de livros literários ou até mesmo didáticos entre alunos que cursam séries diferentes.

Na busca pelo menor preço é importante que o consumidor não se esqueça de atentar pela qualidade e procedências dos produtos, evitando ter de efetuar novamente compras de materiais que deveriam durar ao menos até o final do ano letivo.”Não dá para simplesmente optar pelo que está mais barato. Eu olho sempre o custo benefício”, explica a funcionária pública Marilene Souza Leite.

Levar o filho para acompanhar as compras também pode ser um bom momento para educá-lo financeiramente.Dessa forma, os pais podem aproveitar a oportunidade para explicar sobre as escolha de determinadas livraria e também dos itens que ele irá utilizar durante o ano letivo.

 

Mais notícias