Vale a pena? Confira as regras e vantagens da tarifa branca de energia elétrica em MS

Descontos podem chegar a 40% na conta de energia, no caso de consumo fora dos horários de pico

Desde o dia 1º de janeiro, clientes de todas as faixas de consumo já podem aderir à tarifa branca em MS. A modalidade oferece economia para quem consome energia fora dos horários considerados de pico e os descontos podem chegar a 40%. Entretanto, o consumidor precisa analisar seus hábitos no uso de energia para saber se realmente vale a pena.

A presidente do Concen (Conselho dos Consumidores da Área de Concessão da Energia em MS), Rosimeire Costa, explica que o período de ponta é das 17h30 às 21h30 em MS, quando o uso de energia elétrica nas casas aumenta. O período intermediário é das 16h30 às 17h30 e das 21h30 às 22h30. Quem leva vantagem ao aderir a tarifa branca é justamente quem não utiliza a energia elétrica nestes horários.

Com a tarifa branca, o consumidor passa a ter a possibilidade de pagar valores diferentes em função da hora e do dia da semana em que consome a energia elétrica. “Se o consumidor adotar hábitos que priorizem o uso da energia nos períodos de menor demanda (manhã, início da tarde e madrugada, por exemplo), a opção pela tarifa branca oferece a oportunidade de reduzir o valor pago pela energia consumida”, explica a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).

A presidente do Concen aponta que a economia do consumidor pode chegar a 40% com a tarifa branca. “Pode ser interessante para quem, por exemplo, fique fora de casa nesse período [de maior demanda] e que pode reduzir, conforme simulação que fizemos é de em torno de 20%, podendo chegar até 40%, dependo do perfil de consumo”. Para fazer a adesão, é preciso ir à concessionária e assinar termo de solicitação.

O consumidor pode aderir e, se não perceber vantagem, pode voltar à cobrança da tarifa convencional, que tem um valor único (em R$/kWh) cobrado pela energia consumida em todos os dias e horas. Caso queira participar de novo da modalidade tarifária branca, há um período de carência de 180 dias.

“O problema é que esse custo, de instalação dos medidores inteligentes, recai sobre a tarifa de todo o condomínio, ou seja todos os consumidores pagam por esse equipamento via reajuste periódico da tarifa, além de que, mudar sem deslocar o consumo para fora do período de ponta, pode provocar inclusive um aumento substancial na conta de energia elétrica”, pontua a presidente do Concen.

Atualmente, na área de concessão da Energisa em MS são 392 clientes que aderiram à tarifa branca. A maior parte deles, 250, são residenciais. Há também 124 no comércio, quatro indústrias, 10 rurais e quatro do serviço público, conforme dados da concessionária.

Mais notícias