Lojas de chineses são suspeitas de falsificação, publicidade enganosa e até de vender óculos sem receita em Campo Grande

Das 15 lojas chinesas alvo na fiscalização, 8 já receberam a 'batida' da equipe do Procon-MS, Dedfaz e Decon

A operação contra sonegação de impostos, que mira 15 lojas de chineses no centro de Campo Grande, já fiscalizou 8 das lojas até a tarde desta segunda-feira (28). Durante a fiscalização, foram encontrados produtos falsificados, com publicidade enganosa e até óculos de grau sendo vendidos sem receita médica.

De acordo com nota do , muitas irregularidades foram encontradas nas lojas fiscalizadas, como a não emissão denotas ou cupons fiscais, que impede o consumidor de trocar o produto caso tenha algum defeito; Produtos sem notas de compra que pudessem atestar a origem; produtos vencidos, produtos falsificados, entre outros.

“Houve casos em que o estabelecimento estar com alvará de localização e funcionamento vencido e, considerado bastante grave, a comercialização  de óculos de grau sem a necessidade de apresentação de receita de especialista e, consequentemente,  sem autorização da ”, disse Marcelo Salomão, superintendente do .

Também foram  encontrados produtos à venda sem quaisquer especificações em português na embalagem. Na maioria dos casos, segundo o Procon, houve a necessidade de descarte do produto para não terem condições de voltar  às gôndolas. A fiscalização no restante das 7 lojas continua até o fim do dia.

A ação conta com a participação da Dedfaz (Delegacia Especializada em Repressão a Crimes de Defraudações e Falsificações) e Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo).

Lojas de chineses são suspeitas de falsificação, publicidade enganosa e até de vender óculos sem receita em Campo Grande
Mais notícias