Medo de ficar sem alimentos leva douradenses a ‘invadirem’ supermercados

Correria provoca congestionamento nas filas e falta de carrinhos

Se por um lado o comércio de Dourados vive momentos de paradeira quase total, os supermercados da cidade registram efeitos inversos. Com medo de ficar sem alimentos, os consumidores estão provocando correria às prateleiras.

Desde a última segunda-feira (16) as duas principais redes atacadista da cidade tem registrado movimentos fora do comum em dias considerados normais. Nesta quarta-feira (18), por exemplo, os consumidores provocaram congestionamentos nas filas e falta de carrinhos.

“Não sei o que vai acontecer nos próximos dias. Já que vamos ter que ficar recolhidos em casa é melhor garantir um bom estoque comida”, revelou a funcionária pública Suzete Martins Viana, que, auxiliada por dois filhos adolescentes empurrava três carrinhos abarrotados de alimentos.

Com os corredores entupidos de gente e as filas fazendo curvas, a bancária Gisele Marcondes Alvarenga acabou voltando para a casa de mãos vazias e com cara de poucos amigos. “Isso  é um absurdo. Parece até que o mundo vai acabar.Se as coisas continuarem desse jeito não sei o que será de nós”, lamenta Suzete, afirmando que “há um certo exagero das pessoas”.

“É melhor enfrentar essa fila toda do que ficar em casa esperando as coisas ficarem ainda pior. Já vivenciei momentos de grande escassez e não quero passar por isso de novo”, comenta o aposentado Antônio Queiroz de Oliveira Martins.