Crescimento da indústria de seguros e assistência de viagens no Brasil

A Cada dia, são mais os brasileiros que contratam apólices de seguro e assistência de viagem ao sair do país. Além da obrigatoriedade em alguns países, os cidadãos se tornam mais conscientes dos riscos de não contar com uma cobertura de saúde no exterior e a compra vai incluindo os hábitos do viajante. De Asseguresuaviagem.com nos contam como foi a evolução nos últimos anos da indústria e enfatizam a importância de viajar sempre com um seguro de viagem internacional.

 

Os brasileiros usam seguros de viagem?

Contratar uma assistência de saúde ao viajar é com certeza uma escolha correta quando se trata de não estragar as tão merecidas e esperadas férias. Pense estar em meio a um passeio turístico e passar mal ou ter que ser hospitalizado sem contar com uma cobertura, o ser barrado no ingresso a um país por não ter a apólice requerida.

É por estes motivos que os brasileiros preferem contratar uma assistência ao viajante antes do que viajar desprotegidos. Nos últimos anos o mercado de seguros tem crescido um 72%, de acordo com dados fornecidos pela Superintendência de Seguros Privados (SUSESP), e o valor pago pelo segurado para ter acesso ao benefício passou de 220 milhões no ano passado para 420 milhões de reais em 2019.

Adicionalmente, o crescimento da indústria do turismo provocou um incremento na comercialização de seguros de viagem. No primeiro semestre deste ano, as vendas aumentaram um 28,1%, em comparação com o mesmo período do ano 2018.

 

Quem usa mais a assistência?

Os viajantes que mais costumam acionar o seguro médico quando estão de férias são os turistas idosos. Os gastos que eles geram com despesas hospitalares, farmacêuticas e de consultas com especialistas representam um 36% dentro da totalidade dos contratantes.

As crianças até 12 anos são também os que mais usam a assistência de viagem. Devido a que passam a maior parte do tempo correndo, brincando e pulando daqui para lá, o risco de quedas ou acidentes nos meninos aumenta consideravelmente, por este motivo, o 64% requer atendimento em hospitais ou clínicas.

 

O que oferece a indústria de seguros de viagem no Brasil?

Os serviços fornecidos pelas empresas seguradoras são muito variados, e se adaptam às preferências e às necessidades dos viajantes. A primeira diferenciação é entre seguro e assistência de viagem.

Ao contratar um seguro de viagem, diante casos de doenças ou acidentes, o segurado paga todas as despesas que surgirem, tanto médicas, hospitalares como farmacêuticas, tendo a possibilidade de escolher o local onde será atendido. Uma vez de retorno ao Brasil, deve solicitar o reembolso apresentando tíquetes, laudos e comprovantes de pagamento.

Caso tiver uma assistência de viagem, o turista não terá que pagar nada ao momento de ser atendido pelo sinistro, porém antes deverá ligar à seguradora para conferir quais são os locais da rede conveniada para atendimento.

O mercado de assistência de viagem também oferece apólices que se ajustam aos perfis dos viajantes, como turistas idosos, com doenças preexistentes ou mulheres grávidas. Embora custem um pouco mais caros que as coberturas tradicionais, os seguros que contemplam estas situações devem ser contratados sempre. É preferível pagar mais a ter contratempos e problemas no exterior.

Os estudantes de intercâmbio, que ficam por longos períodos em países do estrangeiro, assim como os turistas que viajam para fazer esportes de aventura também devem contratar apólices especiais para o tipo de viagem que irão realizar.

 

Mas, vale a pena comprar uma assistência ao viajante?

Claro que sim! Imprevistos podem acontecer em qualquer momento de uma viagem, independentemente da idade e estado de saúde do viajante. Em alguns países o sistema público de atendimento sanitário não é gratuito para os estrangeiros, e as despesas podem ser muito altas.

Em outros destinos os turistas são atendidos gratuitamente, mas as condições de infraestrutura e insumos podem ser deficientes, complicando a assistência diante casos graves. Por este motivo, contratar um seguro de viagem internacional se torna fundamental.

Aliás, é um serviço que não representa muito no valor total de um orçamento de viagem, custando em média uns 100 reais por dia por pessoa.

Casos obrigatórios de compra de um seguro de viagem internacional

Existem alguns destinos que exigem obrigatoriamente que os turistas possuam uma assistência de saúde ao ingressar no seu território. Este é o caso daqueles que fazem parte do Tratado de Schengen, um acordo entre países europeus para a circulação de bens e de pessoas, que estipula que os estrangeiros devem possuir apólices com uma cobertura mínima de EUR 30.000.

Os Estados que formam parte do Tratado são Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Liechtenstein, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Noruega, Países Baixos, Polônia, Portugal, República Tcheca, Suécia e Suíça.

Outros países que exigem a contratação de um seguro de viagem internacional para os turistas são Cuba, que requer uma cobertura de pelo menos USD 10.000, a Venezuela, que solicita apólices de pelo menos USD 40.000 e a Austrália, que obriga aos estudantes de intercâmbio a possuir o Overseas Students Health Cover (OSHC).

Afeganistão, Angola, Arábia Saudita, Coreia do Sul, Chipre, Belarus, Andorra, Catar, Argélia, Equador, Bahrein, Irã, Iraque, Israel, Emirados Árabes Unidos, Fiji, Líbano, Kuwait, Jordânia, Israel, Omã, Síria, Moldova, Paquistão, Iêmen, Geórgia, Ucrânia e Líbano também solicitam que os estrangeiros tenham um seguro de saúde ao passar pelas suas fronteiras.

 

Futuro da indústria de seguros de viagem no Brasil

Atualmente, o Brasil ocupa a 14° posição dentro dos países que comercializam seguros de viagem, e a previsão para o ano 2020 indica que chegará até o 8° lugar, devido à recuperação econômica do mercado brasileiro e os investimentos estrangeiros no território nacional.

O aumento na demanda de viagens e percursos internacionais seja por motivos de turismo, estudo, intercâmbio ou para fechar ou iniciar negócios no exterior, impacta de forma direta sobre o mercado de seguros de viagem internacionais.

Adicionalmente, a maior conscientização da importância de ter cobertura de seguro de viagem internacional em casos de necessidade ao momento de viajar longe de casa e o fato de que muitos planos de saúde e cartões de crédito suspenderam a gratuidade do benefício, incrementa a contratação e a demanda dos seguros de viagem.

Mais notícias