Clientes movimentam centro e devem gastar até R$ 200 em presentes para criançada

Variedade de presentes, estacionamento mais barato e negociação com comerciante são as vantagens apontadas pelos clientes ao comprar no centro

Ainda não é feriado para a maioria dos trabalhadores, mas a quinta-feira (10) começou movimentada no comércio de Campo Grande. À procura do presente para o dia das crianças, os consumidores recorrem às lojas da rua 14 de Julho pelo preço amigável e variedade. A intenção é gastar até R$ 200 nos presentes para a criançada.

O cenário na rua 14 de Julho é positivo e os clientes consideram o local agradável após a reforma. A aposta é que, com uma variedade de lojas e a possibilidade de negociar, o presente deve sair mais barato do que nos shoppings.

Rodrigo (à direita) ainda pontuou que o estacionamento é mais barato no centro. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

O arquiteto Rodrigo Cristaldo, de 38 anos, conta que foi ao centro da cidade para comprar o presente das crianças pela variedade e também porque considera o lo

cal mais tranquilo que os shoppings. “Aqui o estacionamento também é mais barato e ainda dá pra negociar com o vendedor”, pontua. Rodrigo conta que presente gastar até R$ 200, com a compra de dois ou três presentes.

A funcionária Isabel Silva, de 45 anos, aproveitou o dia de ponto facultativo no trabalho para comprar uma sandália e um brinquedo para a filha. Ela aponta que presente gastar entre R$ 150 e R$ 200.

Neiva quer economizar e aproveitou a quinta-feira para fazer a pesquisa de preços. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Já a doméstica Neiva Brito, de 58 anos, aproveitou esta quinta-feira (10) para pesquisar os preços. Ela quer economizar então vai pesquisar bem e deve retornar à 14 de Julho na sexta (11). “Os preços no centro são mais em conta, tem mais diversidade”. A dona de casa Solange Santos, de 49 anos, também aproveitou para pesquisar o presente do filho de 10 anos. Devido ao calorão, o menino pediu uma piscina de plástico.

A técnica em radiologia Giovani Silva, de 35 anos, vai aproveitar que os filhos pequenos ainda não sabem escolher e vai comprar presentes baratinhos só para a data não passar em branco. “Vou aproveitar que eles ainda não escolhem o que querem e vou gastar no máximo R$ 100”, brinca.

Pedro é gerente de uma loja e explica que o movimento deve ser intenso no fim de semana, mesmo com feriado. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Após uma decisão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), o comércio em Campo Grande foi autorizado a abrir no feriadão. Gerente de uma das lojas mais movimentadas do centro, Pedro Magalhães explica que a loja até resolveu abrir no feriado do sábado (12) e no domingo (13) para atender à procura. Ele explica que no fim de semana, as vendas devem melhorar significativamente.

Mais notícias