Black Friday: Procon dá dicas para aproveitar descontos e não cair em ‘cilada’

Órgão terá van e servidores no centro de Campo Grande para ajudar consumidores

A Black Friday é um dos dias mais esperados pelos comerciantes e pelos consumidores. A data é conhecida pelo festival de promoções, mas nem sempre os preços estão tão incríveis quanto parecem. Neste sentido, o Procon (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) Estadual orienta os clientes a tomarem cuidado para não caírem na ‘black fraude’.

Para não cair de uma armadilha, o Procon deu algumas orientações aos consumidores. Assim, os clientes podem evitar comprar um produto ‘pela metade do dobro’ do preço, quando os fornecedores reajustam os preços para ‘fingir’ que há desconto.

A primeira dica para não cair em cilada é já pesquisar o preço do produto desejado antes da Black Friday. Assim, o consumidor já sabe quanto aquele artigo custa e evita cair em um falso desconto.

“Ainda há tempo para passar pelas lojas que comercializam o item pretendido e o fotografar ou, de alguma maneira, registrar o preço atual para depois avaliar se, realmente, está conseguindo algum benefício, e se a loja está realizando o que promete”, orienta o órgão de defesa do consumidor.

O Procon ainda chama a atenção para as compras virtuais. O primeiro passo é se certificar de que o site é confiável, para isso o consumidor pode checar se há um ícone de cadeado na página. O consumidor também pode acessar o site do Procon Estadual, onde consta uma lista de sites não confiáveis. “Toda a atenção é indispensável para aquisições, seja de qual produto for, de maneira virtual”, diz o superintendente do Procon, Marcelo Salomão.

‘Plantão’ do Procon no centro da Capital

Nesta sexta-feira (29), o Procon terá equipe nas ruas centrais e shoppings de Campo Grande para atender o consumidor que tiver dúvidas ou problemas com a Black Friday. Além do atendimento na sede do órgão, uma van do Procon estará disponível na rua Barão do Rio Branco, entre a Calógeras e a 14 de Julho, a partir das 7 horas. Além disso, servidores do Procon devem circular pelas ruas centrais para ficarem à disposição dos consumidores.

Mais notícias