Juros do cheque especial chegam a 12% ao mês, aponta Procon

O Procon/MS realizou uma pesquisa para avaliar as taxas de juros cobradas por sete instituições bancárias em Campo Grande. Para empréstimo pessoal a taxa média cobrada é de 5,04% ao mês, enquanto para o cheque especial é de 8,98% no mesmo período.
 
O levantamento foi feito na quarta-feira (27) em agências do Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander. As maiores taxas para empréstimo pessoal são do banco Itaú (6,02%) e Bradesco (5,50%) e as menores do Safra (4,09%) e Caixa Econômica Federal (4,78%).
 
No cheque especial o banco Safra cobra percentual mais elevado, 12%, seguido do Santander, que aplica taxa de 9,55% ao mês. Em contraposição, as instituições financeiras com menores taxas são a Caixa Econômica Federal (7,15%) e o Banco do Brasil (7,86%).
 
O superintendente do Procon, Lamartine Ribeiro, explica que os dados coletados referem-se a taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, independentemente do canal de contratação. Para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias.
 
Na opinião de Ribeiro, as taxas ainda são altas e a contratação de empréstimos continua sendo uma operação arriscada, se não for bem planejada.


“Estamos assistindo a uma expansão do crédito. A parcela da renda do consumidor destinada ao pagamento de juros vem aumentando consideravelmente, fruto de financiamentos cada vez mais longos”, argumenta.

Mais notícias