Inflação medida pelo IGP-DI desacelera em junho com deflação nos preços ao consumidor

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getulio Vargas (FGV) foi de 0,34% em junho. A taxa é bem menor do que a registrada em maio, de 1,57%. O indicador, divulgado hoje (7), tem como base pesquisa de preços coletados entre os dias 1º e 30 de junho.


Os três índices que compõem o IGP-DI contribuíram para a desaceleração. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) apresentou inflação de 0,43%, bem menor que a de maio, que ficou em 2,06%. A redução do IPA foi puxada por itens como materiais e componentes para manufatura (de 1,05% em maio para 0,09% em junho), minério de ferro (75,19% para 5,77%), leite in natura (5,37% para –2,00%) e suínos (3,1% para –3,43%).


O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou deflação de 0,21% em junho contra inflação de 0,21% no mês anterior. Seis das sete classes de despesa que compõem o IPC apresentaram queda dos preços: alimentação (de –0,34% em maio para –1,32% em junho), habitação (0,65% para 0,29%), vestuário (0,99% para 0,71%), educação, leitura e recreação (0,17% para 0,01%), saúde e cuidados pessoais (0,58% para 0,46%) e transportes (-0,18% para -0,21%). Apenas o grupo despesas diversas destoou, passando de 0,36% em maio para 0,6% em junho.


O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou variação de 1,09% em junho, contra 1,81% do mês anterior. Dos três grupos que formam o índice, apenas mão de obra contribuiu com a desaceleração, passando de 3,13% em maio para 1,30% em junho. Os preços de materiais e equipamentos, que em maio registraram variação de 0,61%, subiram 0,94% em junho. E a inflação dos serviços passou de 0,57% para 0,71%.

Mais notícias